Outubro 2014


Imagem de relâmpagos ganhou na categoria ambientes da Terra; foto de leoas venceu na categoria geral.

              Na categoria ambientes da Terra, o chileno Francisco Negroni foi o escolhido com a imagem que batizou de 'Apocalipse', feita no Parque Nacional Puyehue, no sul do Chile. Ele fotografou um evento raro: uma tempestade de raios provavelmente causada pelas descargas de eletricidade estática resultantes do choque entre rochas quentes, cinzas e vapor da erupção no complexo vulcânico Puyehue-Cordón. (Foto: Francisco Negroni/Wildlife Photographer of the Year 2014)




Reyhaneh Jabbari
                   
              Os Estados Unidos condenaram neste sábado a execução por enforcamento de uma iraniana condenada pelo assassinato de um ex-agente da inteligência que a teria agredido sexualmente.
"Condenamos a execução nesta manhã, no Irã, de Reyhaneh Jabbari", disse a porta-voz do Departamento de Estado Jen Psaki, assinalando haver "preocupações sérias com a imparcialidade do julgamento e as circunstâncias envolvendo o caso".
Reyhaneh, 26, estava no corredor da morte há cinco anos. Segundo a ONU e grupos internacionais de defesa dos direitos humanos, sua confissão foi obtida por meio de pressão intensa e ameaças dos promotores iranianos, e ela deveria ter sido submetida a um novo julgamento.
A decoradora foi condenada em 2007, por ter esfaqueado e matado Morteza Abdolali Sarbandi.
Um monitor de direitos humanos da ONU alegou que Reyhaneh agiu em legítima defesa, depois que Sarbandi tentou abusar sexualmente dela.
Mas um relatório médico elaborado pela Justiça contradiz esta versão e conclui que Sarbandi foi apunhalado pelas costas e que o crime foi premeditado.

Arquivo/Você SA/EXAME.com


Editado por Claudia Gasparini, de EXAME.com

*Resposta de Marcelo C. Mascaro Nascimento, sócio do escritório Mascaro Nascimento Advocacia Trabalhista

A lei nº 8.036/1990 que regulamenta o FGTS é clara ao dispor que os empregadores devem depositar, até o dia sete de cada mês, em conta bancária vinculada, o FGTS de cada empregado.

Além disso, as empresas estão obrigadas a comunicar mensalmente a seus colaboradores os valores recolhidos a título de FGTS nas contas vinculadas.

Desta forma, a lei prevê que o empregador que não realizar os depósitos no prazo citado, deverá pagar a parcela com a incidência de TR (taxa referencial) acrescida de juros de mora de 0,5% ao mês. Além disso, cumulativamente, incorrerá na multa variável de 10% a 50% do débito salarial, garantida pelo Decreto-lei 368/1968.

A verificação do cumprimento da lei é competência do Ministério do Trabalho e da Previdência Social. Estes órgãos poderão notificar as empresas para efetuarem ou comprovarem os depósitos e cumprirem com as determinações legais.

Também o funcionário que se sinta prejudicado pela falta de depósitos poderá se dirigir até o Ministério do Trabalho e tentar resolver a questão através deste organismo.

Em última hipótese, o colaborador pode ingressar com uma ação trabalhista perante à Justiça do Trabalho e requerer da empresa o pagamento do FGTS devido.

Divulgação/Sabesp

Seca no Sistema Cantareira: o volume da represa chegou hoje a 3,2% de sua capacidade

Alba Santandreu, da EFE

Itu - Há 20 dias não chega água na casa de Fabiana. Ela, seus vizinhos e outras 70 pessoas fazem fila em uma fonte pública para tentar encher alguns galões. O estado de São Paulo atravessa uma seca histórica, e os moradores de Itu pedem socorro.

"Tenho cinco filhos e não posso limpar minha casa. Uso pratos e copos descartáveis. Minhas filhas tomam banho no colégio. A situação é muito triste", contou à Agência Efe Fabiana Silveira.

Na entrada das casas de outros moradores, cartazes foram afixados. Vários deles trazem a seguinte mensagem: "Socorro, Itu pede água".

Situada a cerca de 100 quilômetros da capital paulista, a vida na periferia da cidade foi reorganizada em torno da chegada esporádica do caminhão pipa. A cada passagem, moradores correm para encher vários recipientes, de todos os tamanhos, para poder ter um pouco de água e realizar as tarefas cotidianas do lar.

Em bairros onde o caminhão não passou nesta quarta-feira, os ituanos se amontoam em filas ao longo do dia para encher garrafas e galões, a fim de enfrentar uma seca que há vários meses atinge a região Sudeste, especialmente em São Paulo.

Depois de caminhar por mais de 45 minutos, Henrique Moretto chega ao local com sua mulher. Trazem com eles cerca de 20 garrafas de água vazias e um carrinho de mão enferrujado para ajudar a transportar a carga. Com 60 anos, ele se diz cansado e indignado com a situação e, como outros vizinhos, acredita que ela poderia ter sido evitada.

"Esse problema reflete uma falta de investimento. Por um longo tempo há essa falta de planejamento, mas a seca só nos tem tirado a energia", diz Mariece Silvena.

A empresa responsável pelo abastecimento no município, a Águas de Itu, informou que está fazendo o possível para atenuar o problema, agravado pela ausência de chuvas.

Apesar de a cidade no interior ser uma das mais afetadas pela seca, alguns bairros da capital paulista também estão sofrendo com a crise, admitida pelo próprio governador Geraldo Alckimin, reeleito em primeiro turno depois das eleições do último dia 5 de outubro.

Em São Paulo, estado que concentra perto de 36% da produção industrial brasileira, as reservas estão nos níveis mínimos históricos. O volume da represa de Cantareira, a principal reserva de água da região metropolitana e que abastece 6,5 milhões de habitantes, chegou hoje a 3,2% de sua capacidade.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Datafolha, 60% dos moradores da capital relataram terem sido afetados pela falta do fornecimento de água no último mês. Outros 75% dos entrevistados consideraram que o problema poderia ter sido evitado.

Nas últimas semanas, a crise hídrica de São Paulo entrou na pauta da campanha eleitoral. A presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição, usa o assunto para criticar Aécio Neves, candidato do PSDB, mesmo partido do governador paulista, Geraldo Alckmin.

"É preocupante e também muito triste saber que os brasileiros que vivem em São Paulo, o estado mais rico do país, estão passando por uma crise de água sem precedentes. Estamos falando de um problema alertado há dez anos", afirmou recentemente em entrevista a candidata do PT.

Pascal Guyot/AFP

Funcionário da Cruz Vermelha veste uma roupa de proteção contra o ebola, na capital da Libéria

Chris Strohm, da Bloomberg

Washington - Na Libéria, trabalhadores humanitários testaram nesta semana uma nova ferramenta para conter o pior surto de ebola do mundo: a mensagem de texto.

Usando uma tecnologia que pode abranger telefones celulares em uma área específica, trabalhadores do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, enviaram textos para um grupo de jovens em Monróvia contando a eles como realizar o cadastro para recebimento de alertas relacionados ao ebola.

Os jovens responderam com perguntas, por exemplo, sobre como eles poderiam evitar o contágio.

O vai e vem é parte de uma medida emergencial para uso de tecnologias para ajudar a combater o vírus.

Os trabalhadores humanitários dizem que embora a tecnologia seja promissora, a limitada conectividade de internet e de dados nas áreas rurais da África Ocidental se tornou um obstáculo significativo.

“O sistema está, francamente, se derrubando”, disse Lauren Woodman, CEO da NetHope Inc., uma organização sem fins lucrativos que está coordenando o uso da tecnologia por grupos humanitários na região.

“Nossas organizações-membros nos dizem que chegam a conseguir apenas um telefonema em horas de tentativas. As mensagens de textos são entregues dois ou três dias mais tarde. Os pagamentos móveis para trabalhadores de saúde estão, algumas vezes, levando uma semana para serem processados”.

As agências do governo, organizações internacionais e entidades sem fins lucrativos estão expandindo o uso de tecnologias para ajudar a parar uma epidemia que infectou quase 10.000 pessoas, matando em torno de metade.

Os trabalhadores de saúde estão usando telefones com Android, da Google, para monitorar as vítimas, um software para acompanhar o Twitter e outras redes sociais em busca de surtos e sistemas baseados em satélites para conectar hospitais rurais improvisados à internet.

Campanha com textos


“Todos estão tentando alavancar o uso de tecnologia de uma forma ou de outra”, disse Gisli Olafsson, diretor de resposta a emergências da NetHope, uma coalizão com sede em Fairfax, Virgínia, de 41 organizações internacionais que fornece US$ 40 bilhões em assistência humanitária.

O teste com mensagens de texto desta semana, por exemplo, é parte de uma campanha educativa que começará nos próximos dias, disse Christopher Fabian, conselheiro sênior de tecnologia da Unicef, em entrevista por telefone, de Monróvia.

Muitas pessoas se recusam a acreditar que o clima do planeta Terra está mudando, e mais rápido do que gostaríamos. E essas 20 imagens de satélite revelam parte dessas mudanças. 

Embora você possa discordar sobre o motivo de tais mudanças, é inegável que elas estão acontecendo. 

Confira: 

1) Seca – Lago Powell, Arizona / Utah, EUA 

2) Incêndios – Califórnia

3) Inundações – Camboja

4) Furacões – Filipinas

5) Mortes massivas de peixes – Indonésia

6) Derretimento de geleiras – Antártida

7) Lago – Novo México, EUA

8) Incêndio – Colorado, EUA

9) Lago – Iraque

10) Lago Meade, Nevada

11) Desmatamento – Quênia

12) Inundações – Uganda

13) Derretimento de gelo – Equador

14) Derretimento de geleiras, Antártida

15) Seca – Califórnia, EUA

16) Desmatamento – Argentina

17) Derretimento de geleiras – Chile

18) Lago – Argentina

19) Desmatamento – Brasil

20) Derretimento de geleiras – Ártico

Experiência única no mundo, o lago Þingvallavatn permite aos mergulhadores nadarem entre duas placas tectônicas. Localizadas na fenda de Silfra, elas estão situadas apenas a 25 metros de profundidade

A distância entre as duas placas é tão grande que pode-se mergulhar e nadar entre elas
 - Foto: Alexander Mustard

Entre tantos lugares incríveis para se visitar no mundo, um deles se destaca. Localizada no lago Þingvallavatn, na Islândia, Silfra é uma fenda marítima que possibilita ver 'in loco' o distanciamento entre duas das principais placas tectônicas que formam a crosta terrestre. Considerada única região do mundo onde é possível ver este feito, a fenda aumenta cerca de 2,5 cm por ano e está situada dentro do Parque Thingvellir.

A distância entre as duas placas é tão grande que pode-se mergulhar e nadar entre elas. Ao contrário do imaginário popular, as placas tectônicas não ficam necessariamente a centenas de metros abaixo do solo. Em Þingvallavatn é possível encontrá-las a 25 metros de profundidade, porém há regiões em que elas estão até 60 metros abaixo d'água.

A enorme fissura que existe atualmente começou como uma pequena e estreita caverna e com o passar dos anos se transformou numa gigantesca fenda submarina. O local é pouco visitado, pois a temperatura média da água é de 4ºC e só permite mergulhos com trajes próprios para baixas temperaturas. Contudo, quem conhecer a região terá uma experiência única ao nadar entre ambas as placas.

Durante o mergulho também é possível visitar a "Arnarnes Strytur" que é uma chaminé hidrotermal. O local libera água a 80ºC que entra em reação com o líquido ambiente que está numa temperatura de 4ºC e cria uma 'nuvem' turva na região, contrastando com a pureza da água dentro do lago. Entre tantas belezas submersas, a chaminé é a segunda região mais visitada dentro do Þingvallavatn, perdendo apenas para a fenda de Silfra. 

Parque Nacional Thingvellir
Considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO desde 2004, a região possui um terreno muito acidentado devido a constante ação geológica que existe no local. Com vulcões, gêiseres e cascatas, o Parque ganhou fama mundial por ser um dos melhores lugares do mundo para se estudar a ação das placas tectônicas. 

Além da importância ambiental, o Parque Nacional Thingvellir também é famoso na Islândia por sua relevância histórica. Em 930, um grupo de homens se reuniu no local para fundar o Alþingi que é o nome dado até os dias atuais ao Parlamento da Islândia. Em 1944, também no mesmo lugar foi proclamada a independência do país. 

Como chegar
Com voos saindo de São Paulo rumo a Reykjavik, as passagens aéreas custam a partir de R$ 3440. O percurso é operado por companhias internacionais e possui duas escalas.

O caminho entre Reykjavik, capital da Islândia, até o Parque Nacional Thingvellir deve ser realizado pela Rota 1 que é a única rodovia existente no país. Ela circunda a nação insular e leva os turistas até o Parque, entre outros destinos turísticos islandeses. Outra opção é comprar um pacote turístico que já inclua guias e o traslado para conhecer Thingvellir.

Confira fotos da fenda de Silfra, na Islândia
Silfra é uma fenda marítima que possibilita ver 'in loco' o distanciamento entre duas das principais placas tectônicas do globo terrestre - Foto: Alexander Mustard

Silfra está localizada no lago Þingvallavatn, na Islândia - Foto: Alexander Mustard

A enorme fissura que existe atualmente começou como uma pequena e estreita caverna e com o passar dos anos se transformou numa enorme fenda submarina - Foto: Alexander Mustard

Considerada única região do mundo onde é possível ver este feito, a fenda aumenta cerca de 2,5 cm por ano - Foto: Guillaume Baviere

Durante o mergulho também é possível visitar a "Arnarnes Strytur" que é uma chaminé hidrotermal - Foto: Guillaume Baviere

Ao contrário do imaginário popular, as placas tectônicas não ficam necessariamente a centenas de metros abaixo do solo - Foto: Francisco Antunes

A fenda está situada dentro do Parque Thingvellir - Foto: Francisco Antunes

O local é pouco visitado, pois a temperatura média da água é de 4ºC e só permite mergulhos com trajes próprios para baixas temperaturas - Foto: Bernard McManus

Vanderlei Faria/Divulgação/Prefeitura de Cascavel

Paciente com suspeita de ebola é transferido de Cascavel, no Paraná, para o Rio de Janeiro


Saulo Pereira Guimarães, de EXAME.com 

Com o anúncio do primeiro caso suspeito de ebola no Brasil, as autoridades começam a se mobilizar. Em entrevista em Brasília hoje, o ministro da saúde Arthur Chioro afirmou que o governo tem "a situação sob controle".

De acordo com a infectologista Otília Luz, o surto de ebola na África Ocidental está sendo acompanhado pelas autoridades médicas brasileiras dede março. Segundo ela, todas as capitais brasileiras estão preparadas para lidar com casos suspeitos da doença.

A médica ligada à Fiocruz afirmou que o país tem expertise em lidar com doenças hemorrágicas - como as formas mais severas da dengue, por exemplo.

"Temos condições de oferecer um bom tratamento, diferentemente do que acontece nas tendas no litoral da África", disse Otília em entrevista a EXAME.com no fim de agosto (procurada hoje, a Fiocruz afirmou que aguarda a entrevista do ministro para se manifestar).

De acordo com Otilia, o procedimento no Brasil para casos suspeitos de ebola prevê que pacientes com sintomas da doenças sejam tratados como se estivessem infectados até que haja um diagnóstico definitivo.

Caso

Bah Souleymane é a primeira pessoa no Brasil com suspeita de contaminação pelo vírus ebola. No país desde 23 de setembro, o homem solteiro de 47 anos veio de Conacri, capital da Guiné (seu país de origem).

Por volta das 16 horas de ontem, Souleymane deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento Brasília, na cidade de Cascavel (PR). "Até o início da noite, estava subfebril e não apresentava hemorragia, vômitos ou quaisquer outros sintomas. Está em bom estado geral e, mantido em isolamento total", afirmou o Ministério da Saúde em nota publicada ontem em seu site.

Na manhã de hoje, Souleymane foi transferido para o Rio de avião. No momento, ele está em isolamento no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, localizado em Manguinhos (bairro da zona norte do Rio).

Desde março, um surto de ebola afeta Guiné, Libéria, Serra Leoa e outros países. A epidemia atual já matou mais do que todos os surtos anteriores da doença, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O ebola é transmitido pelo contato com sangue, saliva e outros fluidos de pessoa ou animal contaminado. A doença é caracterizada por febre, fraqueza intensa e outros sintomas. De acordo com a OMS, o vírus mata em média 50% dos pacientes contaminados.

De acordo com o ministro Chioro, a confirmação ou não da suspeita de ebola deve sair dentro de 24h. Hoje, às 18h, ele deve fornecer dados atualizados sobre o caso numa nova entrevista coletiva.

Getty Images
Sono: dormir pouco pode degenerar ou até destruir alguns neurônios

Carol Castro, da Superinteressante

Acha uma boa ideia ficar acordado até tarde da noite? Melhor repensar: dormir pouco pode degenerar ou até destruir alguns neurônios.

Foi o que aconteceu com ratos testados por cientistas da Universidade de Pequim.

Eles impediram os animais de dormir mais do que cinco horas diariamente.

Depois de três dias, o nível de neurônios em uma região conhecida como lócus cerúleo diminuiu 25%.

É essa a área responsável por ligar o modo atenção e alerta – tem relação também com a memória e o aprendizado.

E as consequências, segundo a pesquisa, podem ser irreversíveis.

“Isso aconteceu com um animal simples, mas sugere que deveremos analisar essa questão cuidadosamente também em humanos”, explica Sigrid Veasey, uma das autoras do estudo.

Melhor não arriscar, afinal, dormir bastante não é uma tarefa nada difícil.


Pesquisadores da NASA fizeram novas descobertas sobre atividades vulcânicas na Lua. Ao contrário do que se imaginava, o satélite teve vulcões ativos até um período muito mais recente da história.

Os cientistas encontraram sinais de atividade vulcânica entre 100 milhões e 50 milhões de anos atrás. A teoria anterior afirmava que os vulcões haviam aparecido na Lua há 3,5 bilhões de anos atrás e que haviam morrido há um bilhão de anos.

Esse novo período descoberto é contemporâneo ao apogeu dos dinossauros aqui na Terra.

As descobertas foram feitas graças a depósitos de sedimentos na superfície da Lua. De acordo com a NASA, eles são pequenos demais para serem vistos e analisados da Terra. As imagens para o estudo foram obtidas de duas câmeras de alta resolução que orbitam a Lua.

A existência de um número considerável de vulcões em um período mais recente do que se imaginava muda as teorias sobre o processo de formação da Lua. “Esse é o tipo de descoberta que irá literalmente fazer os geólogos reescreverem os livros sobre a Lua”, disse John Keller, um dos pesquisadores.

Os cientistas acreditavam que os vulcões que existiram entre 3,5 e um bilhão de anos eram apenas uma anomalia no nosso satélite. As novas informações sugerem que eles podem ter tido um papel muito mais importante na sua formação.

As informações mudam completamente o que se imagina sobre o interior da Lua. Para que os vulcões fossem ativos há apenas 50 milhões de anos, era preciso uma temperatura mais alta para manter as rochas derretidas sob a superfície.

Essa informação é muito importante para futuras expedições de exploração na Lua, afirma a NASA.

Divulgação

Gilead: o laboratório pretende “ir além do sistema de saúde, a partir de parcerias locais”


Karin Salomão, de EXAME.com 

 O laboratório farmacêutico Gilead abre o primeiro escritório na América do Sul, para ampliar sua atuação no Brasil.

O escritório em São Paulo será responsável por desenvolver estudos, parcerias e tratamentos específicos para a realidade brasileira. Em julho de 2015, a Gilead irá abrir um centro de qualidade e distribuição em Brasília.

Com a abertura de uma filial no Brasil, Gregg Alton, vice presidente executivo, pretende “ir além do sistema de saúde, a partir de parcerias locais”.

Em conjunto com a Universidade Federal da Bahia, o laboratório está desenvolvendo um projeto para o combate a hepatites virais na Amazônia. A universidade, reconhecida por suas pesquisas na área, irá capacitar médicos locais para diagnósticos e tratamentos.

Uma das primeiras ações do escritório em São Paulo será registrar um medicamento para o tratamento e cura da Hepatite C, o Sofosbuir. As especificações já foram encaminhadas para o Ministério da Saúde e para a Anvisa, para registro.

Estuda-se também disponibilizar o remédio pelo SUS e vende-lo ao governo por um terço do preço médio de mercado, conseguindo dessa forma alcançar três vezes mais pacientes.

Alton elogia o Sistema Único de Saúde brasileiro, dizendo que “o Brasil precisa estar muito orgulhoso de seu sistema de saúde, que é muito forte. O sistema de saúde público consegue alcançar a população em todos os lugares”.

“Isso nos proporciona um ótimo ambiente, porque também queremos alcançar o maior número de pacientes possível. O que o Brasil está fazendo é um modelo”, completa.

A equipe brasileira, comandada por Norton Oliveira, também é responsável por fechar parcerias locais, como a Sociedade Brasileira de Hepatologia, Sociedade Brasileira de Infectologia, Centro de Referência e Tratamento em DST/AIDS, Hospital das Clínicas, programas educacionais e instituições de pesquisa.

Desde 2003, o laboratório já vende remédios ao Brasil, através da intermediária United Medical, como antifúngicos, medicamentos contra hepatite e AIDS. Alguns já são inclusive distribuídos pelo SUS.

Há oito estudos clínicos em desenvolvimento atualmente no Brasil, entre pesquisas com medicamentos para AIDS, hepatites virais e leishmaniose visceral.

Gilead no mundo

O grupo Gilead foi fundado em 1987 na Califórnia, Estados Unidos. Em 1992, fizeram uma Oferta Pública Inicial de Ações (IPO). Hoje, o grupo tem escritórios em 35 países e vende medicamentos para 125 países, em quatro continentes.

Com um faturamento anual de US$11,2 bilhões, investe US$2 bilhões em pesquisas. Os medicamentos combatem principalmente doenças como HIV, do fígado, câncer, inflamações, doenças respiratórias e cardiovasculares.

Um dos principais produtos do laboratório é o Single Tablet Regiment, um medicamento para combate ao vírus HIV, causador da AIDS. Ao invés de tomar cerca de 17 remédios, cada um com seus efeitos colaterais, o paciente ingere apenas um, com todos os princípios ativos e menos efeitos colaterais.

Mais de 50% dos pacientes em tratamento contra o HIV – quase 6 milhões - recebem medicamentos da Gilead, segundo o vice-presidente.

Yuriko Nakao/Bloomberg

Trem: linha com tecnologia magnética fará com que trens viagem a mais de 480 km/h

Victor Caputo, de EXAME.com

Um trem que será construído no Japão será o mais rápido do mundo. Nesta sexta-feira, o governo japonês deu autorização para que a Central Japan Railway construa a linha que ligará as cidades de Tóquio (a capital da país) com Nagoya. As informações são do Wall Street Journal.

O trem usará tecnologia de levitação por magnetismo. Grosso modo, imãs com a mesma polarização são instalados na linha e no trem. Isso causa repulsão por parte dos dois. A falta de atrito gerada por essa levitação permite que o trem se movimente de forma extremamente rápida.

De acordo com a empresa, o novo transporte deverá viajar a mais de 480 km/h. Com isso, ele será o mais veloz do planeta. A linha construída terá extensão de 286 km. O tempo total de viagem estimado será de apenas 40 minutos. Esse tempo é menos da metade do atual, que é de uma hora e 40 minutos.

O preço estimado pela Japan Railway é de 52 bilhões de dólares para a construção. Ainda existe a probabilidade de estender o projeto até a cidade de Osaka – o valor total para esse trajeto maior fica em 84 bilhões de dólares.

A expectativa é que a construção da linha seja iniciada no ano que vem. A previsão é que ele fique pronto até 2027. A extensão até Osaka tem como previsão o ano de 2045.

Tecnologia

Uma tecnologia de levitação do mesmo tipo já é usada na China. Uma linha dentro da cidade de Xangai já usa o mesmo tipo de levitação.

A linha japonesa, no entanto, será a primeira a aplicar a tecnologia em uma viagem entre dois municípios diferentes.

O Japão se ofereceu para levar a mesma tecnologia aos Estados Unidos, com uma linha ligando Washington a Nova York. O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou que o Japão ajudaria os EUA a financiar a obra.

Divulgação

Air Umbrella: equipamento é ajustável conforme a intensidade da tempestade


Victor Coelho, de INFO Online

Proteger-se da chuva ficou high-tech e invisível. Ao menos é o que promete o projeto de Chuan Wang e uma equipe situada em Pequim e Nanquim, responsáveis por desenvolver um novo modelo de guarda-chuva.

Com design revolucionário, esse novo equipamento é ajustável conforme a intensidade de uma tempestade.

Chamado de Air Umbrella, o protótipo de plástico é parecido com com uma junção de secador de cabelo e uma varinha de massagem.

Neste aparelho, o tecido impermeável é substituído por um escudo de vento movido por um motor, uma bateria de lítio e uma ventoinha no topo.

O ar é sugado pela parte inferior do bastão e expelido com força pelo lado superior, redirecionando a queda da chuva e afastando-a do caminho.

É possível ajustar a potência e o tamanho do círculo de proteção na região inferior do bastão, oferecendo a capacidade de fortalecer a potência do ar e alargar o raio do “escudo” para se proteger de tempestades mais intensas.

Esses recursos, além de protegerem contra tempestades quando um guarda-chuva comum não teria a mesma eficácia, criam cortinas de ar que têm maiores chances de sobreviver a ventos mais fortes do que uma frágil cobertura de nylon.

Com a retirada da proteção de nylon ou de plástico, economiza-se alguns minutos de agitação do guarda-chuva molhado antes de trazê-lo para dentro de sua casa.

O Air Umbrella também é projetado com uma alça ajustável, para que o usuário possa descansar o braço em qualquer altura que desejar ao segurar o guarda-chuva.

O dispositivo estará disponível em três modelos diferentes: A, B e C. Todos oferecem a possibilidade de o consumidor ajustar a velocidade do motor da ventoinha, adaptando-se à intensidade do temporal.

Segundo a empresa, o modelo A é destinado ao público feminino por ser mais compacto (tem cerca de 30 centímetros de comprimento) e 15 minutos de bateria.

O modelo B tem 50 centímetros e meia hora de bateria. Já o modelo C é extensível, tem entre 50 a 80 centímetros e 30 minutos de autonomia.


Se você estiver em uma tempestade particularmente forte, utilizando maior potência e a mais ampla cortina de proteção, a bateria acabará rapidamente.

Se optar por utilizar o equipamento numa longa caminhada através da chuva, a bateria também não durará muito tempo.

Em entrevista a INFO, Chuan Wang, principal responsável pelo projeto que já arrecadou mais de 66 mil dólares na plataforma de crowfunding Kickstarter, respondeu a algumas questões sobre a varinha mágica da chuva.

Leia a entrevista na íntegra a seguir:

Como surgiu a ideia?

Chuan Wang - Há dois anos e meio passeava por um edifício e havia água fluindo para baixo do telhado.

Vi o fluxo de água em linha reta sendo dobrado pelo vento e pela própria água, que finalmente foi aterrada vários metros a frente, desviando de longe da sua posição vertical original.

Ali pude perceber que o vento não estava soprando em uma direção específica, mas soprando de um centro para todas as direções.

Esse mesmo vento poderia proteger pessoas das chuvas e achei que seria muito legal para as pessoas se abrigarem da chuva, com um gerador de fluxo de ar portátil.

Quão barulhento é o Air Umbrella?

Chuan Wang - O ruído é limitado depois que fizemos muitos reparos, onde limitamos a força, aumentando o fluxo de ar e reduzindo a velocidade do motor.

Não há nenhum ruído agudo, as vezes você poderá ouvir a "voz" profunda do fluxo de ar. Para torná-lo melhor, adicionamos alguns materiais que absorvem e reduzem o ruído. Assim, o barulho da chuva é muito maior do que o do Air Umbrella.

A vida útil do equipamento é de apenas meia hora. Não é um período muito curto?

Chuan Wang - Com base nas condições técnicas atuais, a vida útil da bateria de guarda-chuva de ar pode durar apenas meia hora.

Portanto, os produtos são adequados apenas para os usuários que não são exigentes. De um modo geral, os produtos são mais adequados para os cidadãos urbanos ou pessoas que tem um carro.

O Air Umbrella é à prova d’água? Como é feito a recarga e quanto tempo para obter uma carga completa?

Chuan Wang - O dispositivo é à prova de água. No interruptor principal existe um conector para carregar o Air Umbrella e oferecemos um botão para escolher a velocidade da carga, porém o recomendado (e bom para a bateria) é utilizar a velocidade baixa para recarga.

Utilizando a recarga rápida, pode-se obter uma carga completa em menos de uma hora (nos modelos B e C), o modelo A leva, em média, meia hora para ser totalmente carregado.

O Air Umbrella pode ser adquirido até o próximo dia 24 por meio do Kickstarter, e é possível fazer uma reserva a partir de 290 reais com o envio previsto para antes de dezembro de 2015.

NASA/JPL-Caltech

Arte do Siding Spring: astro passará à toda velocidade a apenas 139.500 km de Marte

Da AFP

Um cometa está prestes a passar muito perto de Marte, em um encontro que acontece uma vez a cada milhão de anos e que será abundantemente fotografado e documentado, informou a NASA.

O cometa Sinding Spring se aproxima de Marte

O cometa C/2013 A1, também chamado "Siding Spring", tem um núcleo de 1,6 km de diâmetro e é tão pouco sólido quanto um monte de talco.

O astro passará à toda velocidade a apenas 139.500 km do planeta vermelho.

Se fosse passar tão perto do nosso planeta, a distância equivaleria a um terço daquela entre a Lua e a Terra.

"Siding Spring" passará pelo ponto mais próximo de Marte às 18H27 GMT (16H27 de Brasília) de domingo, 19 de outubro, informou a agência espacial americana.

Embora voe no espaço a uma velocidade vertiginosa de 202.000 km/h, o pequeno cometa tem poucas probabilidades de se chocar com a superfície marciana.

Mas, de qualquer modo, os cientistas têm acompanhado com muito entusiasmo sua trajetória e seu rastro.

"Veremos meteoros na atmosfera de Marte? Os cometas são imprevisíveis", declarou Jim Green, diretor da divisão de ciências planetárias na sede da NASA, em Washington.

"Penso que é improvável que se destrua", explicou Green a jornalistas. "Mas nos interessa saber se manterá sua estrutura ou não", prosseguiu.

A NASA pôs suas naves que orbitam Marte o mais distante possível do local por onde passará o Siding Spring, para evitar que sofram danos dos vestígios que o cometa solta ao passar com toda a velocidade.

Embora as naves Mars Reconnaissance Orbiter, Mars Odyssey e MAVEN tenham sido reposicionadas para ficar a salvo da poeira estelar, espera-se que capturem um tesouro de dados sobre o cometa que fará a alegria dos cientistas.

Enquanto isso, em solo marciano, as sondas Curiosity e Opportunity apontarão suas câmeras para o céu avermelhado e enviarão à Terra fotos da passagem do cometa, que devem chegar nas próximas semanas ou meses.

O cometa foi descoberto por Robert McNaught no observatório australiano "Siding Spring", em janeiro de 2013.

Acredita-se que tenha se originado há 1 bilhão de anos na Nuvem de Oort, uma região distante no espaço, de onde partem cometas que "permanecem inalterados desde os primeiros dias do Sistema Solar", acrescentou a NASA.

O cometa viajou mais de um milhão de anos para fazer esta primeira parada em Marte e só voltará dentro de outro milhão de anos, assim que completar uma volta ao redor do sol.



Vários moradores do Grande Recife relataram, na noite desta quarta-feira, terem testemunhado uma luz intensa nos céus. O fenômeno teria ocorrido por volta das 22h20 e em poucos minutos foi amplamente divulgado nas redes sociais. O jornalista Carlyle Paes Barreto, por exemplo, viu o clarão quando subia a Estrada de Aldeia e ficou impressionado. “Não chovia nem havia nuvens na hora”. Outra jornalista, Thais Gouveia, compartilhou a foto acima, que seria do momento. Houve relatos em Olinda e até João Pessoa (PB).

A Agência de Águas e Clima, Apac, foi contactada, mas informou que não faz registros de descargas atmosféricas (raios).

Já a Sociedade Astronômica Do Recife colocou um post no Facebook pedindo informações a quem por ventura tivesse testemunhado a passagem de um “bólido” (bola de fogo) no céu. Pessoas confirmaram em Boa Viagem, Candeias, Cordeiro, Abreu e Lima, Pau Amarelo, e no Centro do Recife. Caio Aguar descreveu: “Uma bola flamejante desfragmentando enquanto descia rapidamente em direção ao solo. Um clarão que durou uns…5 segundos. Luz intensa vinda do objeto não identificado.”


Uma explicação possível é tratar-se de um meteoro. Todos os anos, entre os dias 15 e 29 de outubro, a Terra passa por um grande fluxo de detritos deixados pelo famoso cometa Halley, que é o responsável por uma chuva de meteoros denominada Orionídeas. A área da terra onde fica mais visível é exatamente próxima ao Equador, onde fica a constelação de Orion (o Cinturão de Orion é popularmete conhecido como “As Três Marias”). Os dados são do site Galeria do Meteorito.

Veja um vídeo do momento do clarão:

Em mais um dia nebuloso, moradores de várias cidades chinesas enfrentam níveis de poluição que chegam a superar em 20 vezes o limite considerado seguro pela OMS


Vanessa Barbosa, de



Difícil de enxergar. Difícil de respirar. Nos últimos dias, os níveis de poluição em várias cidades chinesas, incluindo a capital Pequim, superaram em 20 vezes o limite considerado seguro pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
As cenas do "arpocalipse" se repetem há pelo menos três dias. Na megalópole, pessoas caminham com máscaras de proteção em meio aos prédios, ruas, praças e monumentos engolidos pela espessa mistura de fumaça e poeira, que tampa o sol e faz o dia parecer noite.
O principal vilão do ar são as chamadas PM2,5, partículas finas e inaláveis de poeira com diâmetro inferior a 2,5μm resultantes da combustão incompleta de combustíveis fósseis utilizados pelos veículos automotores e das usinas a carvão (a China é o país mais faminto por carvão para suprir suas necessidades energéticas, seguida pelos EUA)
Devido ao pequeno diâmetro, essas particulas ficam em suspensão no ar e penetram  profundamente no aparelho respiratório, instalando-se nos alvéolos pulmonares e bronquíolos, podendo causar sérios danos à saúde.
Ontem, em algumas regiões, a concetração de PM 2,5 no ar chegou a 445 microgramas por metro cúbicos. Segundo da OMS, é nociva a exposição ao longo de 24 horas a concentrações superiores a 25.
Um  estudo publicado em 2013 indicou que a poluição reduzirá em 5,5 anos a expectativa de vida de quem mora no Norte do pais, em comparação aos vizinhos do Sul. Combinados, os 500 milhões de habitantes da região deverão perder mais de de 2,5 bilhões de anos de vida pela exposição à poluição.


Ciclista com máscara contra poluição roda pelas ruas de Pequim, em 10 de outubro de 2014.


Dupla limpa paredes do Estádio Nacional de Pequim, que leva o apelido de apelido Ninho de Pássaro

Pedestres usando máscaras caminham por Pequim em dia poluído, 10 de outubro de 2014.

Praça Tiananmen envolvida por névoa de poluição na China em 10 de outubro de 2014

Edifícios e estradas tomadas por poluição pesada, em 10 de outubro de 2014, em Shenyang, província de Liaoning, na China.

Edifícios e estradas tomados por poluição em 10 de outubro de 2014, em Shenyang, província de Liaoning da China

Um policial chinês na Praça Tiananmen engolida por uma névoa cinza em dia poluido

CIclista pedala pela praça Tiananmen em dia de grande poluição

Dia nebuloso e poluído em Shenyang, na China, em 10.10.2014

Recomende e compartilhe para seus amigos no facebook

ivythemes

{facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google-plus#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}

MKRdezign

{facebook#http://www.facebook.com/MundoMS} {twitter#http://twitter.com/MundoMSOficial} {google-plus#http://plus.google.com/+MundoMSOficial} {pinterest#http://br.pinterest.com/MundoMS/} {youtube#http://www.youtube.com/c/MundoMSOficial} {instagram#http://www.instagram.com/mundomsoficial}

Envie seu Recado ao Mundo MS🌏

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget