يناير 2015

Divulgação / TripAdvisor 
Resort Velassaru Maldives 

Enquanto as temperaturas do verão brasileiro batem recorde, o desejo de muita gente se resume a sombra e água fresca. As imagens desta galeria vão além. Elas trazem piscinas de hotéis que fazem cenários paradisíacos. 

A seleção foi feita pelo site de viagens TripAdvisor e inclui a do resort Velassaru Maldives, nas Maldivas. Lá, a piscina se confunde com o mar. Enquanto se refresca, o visitante pode observar as lindas cores do oceano Índico com todo conforto.

The Sarojin 

No hotel The Sarojin, em Khao Lak, na Tailândia, a bela piscina abriga ilhas com espreguiçadeiras, guarda-sol e cortinas, para garantir o clima romântico e intimista do ambiente.

InterContinental Dubai Festival City 

A piscina do InterContinental Dubai Festival City tem 25 metros, fica ao ar livre e se estende para uma varanda. De lá, é possível ver a Marina de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. 

Boscolo Milano 

A piscina do hotel Boscolo Milano, na Itália, parece ter saído de um filme futurista de ficção científica ou de algum sonho. Localizada na área interna do hotel, ela possui uma decoração inusitada e a água aquecida. 

Delamore Lodge 

A pousada de luxo Delamore Lodge fica em Oneroa (Waiheke Island), na Nova Zelândia, e sua piscina externa possui borda infinita e tem uma belíssima vista para o mar. Como não relaxar em um lugar como este?

Al Bustan Palace, da rede Ritz-Carlton 

O resort de 5 estrelas Al Bustan Palace faz parte da rede Rotz-Carlton e fica em Omã. Lá há cinco piscinas, sendo que a principal delas possui borda infinita, com vista para o mar, e ostenta “ilhas” com palmeiras.

Grand Wailea, da rede Waldorf Astoria 

Pertencente à rede Waldorf Astoria, o resort Grand Wailea está localizado no Havaí, nos Estados Unidos. Lá dentro há um parque aquático com nada menos do que 9 piscinas ao ar livre ligadas por uma piscina com correnteza, além de uma piscina infantil e outra exclusiva para adultos.

Grand Hotel Tremezzo 

Em Tremezzo, na Itália, o Grand Hotel Tremezzo fica de frente para o Lago di Como. A piscina que aparece na imagem flutua sobre o lago, para dar aos hóspedes a sensação de estarem nadando no Di Como. 

LeCrans Hotel & Spa 

Com montanhas nevadas no entorno, a piscina ao ar livre do LeCrans Hotel & Spa garante momentos de relaxamento aos turistas que vão à Suíça para esquiar. A água, claro, é aquecida o suficiente para que o hóspede não se importe com o gelo à sua volta. 

Four Seasons Shanghai Pudong 

Ambiente agradável e uma bela vista de Xangai é o que oferece a piscina coberta do hotel chinês Four Seasons Shanghai Pudong. Para os banhistas que gostam de paisagens urbanas, o horário da noite é especialmente belo, devido às luzes da cidade.

The Springs Resort and Spa 

Esta piscina não é exatamente como as outras. Isso porque o Springs Resort and Spa, localizado no Arenal Volcano National Park, na Costa Rica, canaliza as águas termais do lugar para as piscinas do hotel, proporcionando uma experiência relaxante e natural.

Perivolas 

Na piscina do hotel Perivolas, em Oiã, na Grécia, fica difícil para o banhista delimitar onde começa o mar e onde termina a piscina, em uma bela confusão de tons de azul.

The Cambrian 

Em Adelboden, na Suíça, a piscina do hotel The Cambrian permite que os hóspedes tenham uma bela vista de montanhas nevadas. Apesar de ser ao ar livre, os banhistas não sofrem, já que a água é aquecida.

Hotel Hacienda na Xamena 

As piscinas do Hacienda na Xamena, em Ibiza, na Espanha, têm forma de cascata à beira do penhasco sobre o qual o hotel se ergueu. A vista para o mar dá o toque final ao lugar paradisíaco.

Reprodução/YouTube

Dois clientes se abraçam em comercial do McDonald's

Diogo Max, de EXAME.com

 O McDonald's vai aceitar uma nova forma de pagamento em seus restaurantes nos Estados Unidos.

A partir da próxima segunda-feira, a rede de fast food vai selecionar um determinado horário em que os clientes poderão pagar as refeições expressando o amor – que faz parte do slogan "Amo muito tudo isso".

E essa expressão vai desde selfies e abraços a até uma declaração para mãe. "Temos um monte de formas divertidas para expressar o nosso amor", contou um representante da marca ao site da rede de televisão ABC News.

O McDonald's, inclusive, já liberou um comercial (que será veiculado amanhã, durante o Super Bowl), avisando que a promoção só vai durar até o dia 14 de fevereiro.

Este é o primeiro comercial da rede de fast food no Super Bowl após oito anos.




Troca de comando


Na última quarta-feira, o McDonald's mostrou um outro tipo de amor.

A empresa divulgou a renúncia do presidente Don Thompson, que vai se aposentar após trabalhar na rede por 25 anos.

Sua saída está ligada aos maus resultados no último ano. O McDonald's viu suas vendas e lucros caírem pela primeira vez em 12 anos.

No dia 1º de março, o britânico Steve Easterbrook irá assumir o comando da rede de fast food.

DA BBC BRASIL

A gata Masha é a mais nova heroína da cidade russa de Obninsk, depois de ter sido encontrada ao lado de um bebê abandonado.
O menino, que agora está recebendo cuidados médicos em um hospital local, foi encontrado junto a uma sacola contendo uma muda de roupas, fraldas, e uma garrafa de leite materno.

Segundo os moradores, a gata teria mantido o recém-nascido aquecido em meio às baixas temperaturas do inverno russo.

Gata russa 'salva' bebê abandonado em escadaria de prédio
Gata russa 'salva' bebê abandonado em escadaria de prédio

Veja o Video >>



LUIS GUILHERME BARRUCHO
RICARDO SENRA
DA BBC BRASIL, EM SÃO PAULO


Em 27 de janeiro de 1945, Auschwitz, o maior campo de concentração nazista, foi libertado por tropas soviéticas

Um projeto coordenado por uma pesquisadora brasileira pretende colher depoimentos, grande parte deles inéditos, de mais de 250 sobreviventes do Holocausto - o assassinato em massa perpetrado pelos nazistas contra os judeus durante a 2ª Guerra Mundial - que vivem no Brasil.

À frente da iniciativa está Maria Luiza Tucci Carneiro, professora de História da USP e uma das maiores estudiosas sobre o tema no país. Segundo Carneiro, que também dirige o Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação (LEER) da universidade, o objetivo é gravar os testemunhos em vídeo até o fim de 2016.

Intitulado 'Vozes do Holocausto', o projeto ocorre em meio ao desafio de manter viva a memória de um dos maiores genocídios do século 21 uma vez que grande parte dos sobreviventes morreu e os poucos vivos possuem idade avançada.

"É uma corrida contra o tempo", diz Tucci Carneiro à BBC Brasil. "Nosso objetivo é registrar em vídeo o máximo de depoimentos possível, já que, nos próximos dez anos, possivelmente não haverá mais sobreviventes para contar a história de uma das maiores atrocidades que já ocorreu no mundo", acrescenta.

"É uma memória que corre perigo de ser esquecida, especialmente porque, sem os sobreviventes, abre-se espaço para os que insistem em negar a existência do Holocausto."

TESTEMUNHOS

A primeira fase do projeto terá início em fevereiro e durará seis meses, período em que Tucci Carneiro espera gravar testemunhos de 90 dos 284 sobreviventes do Holocausto que vivem no Brasil.

Desse total, revela a pesquisadora, grande parte mora em São Paulo e chegou ao país vinda da Alemanha, Áustria, Polônia e Romênia durante a 2ª Guerra Mundial.

Os recursos para custear esta etapa, diz Tucci Carneiro, virão do Instituto Samuel Klein, criado após a morte do empresário em novembro do ano passado. Judeu nascido na Polônia e naturalizado brasileiro, o fundador da rede de lojas de departamento Casas Bahia sobreviveu a dois campos de concentração, o de Majdanek e o de Auschwitz-Birkenau, este último o maior do regime nazista.

Segundo Tucci Carneiro, dos 90 depoimentos gravados, serão escolhidos os dez melhores, que vão se tornar cada um, um DVD. O registro será acompanhado de material paradidático e distribuído em escolas públicas, inicialmente da cidade de São Paulo.

"O projeto tem caráter multidisciplinar e pedagógico. O objetivo é propor uma reflexão sobre todas as formas de intolerância a partir do Holocausto. Normalmente, as escolas não dão a esse tema a sua devida importância", diz a pesquisadora.

"Em outras palavras, queremos mostrar para os mais jovens que quando se investe contra uma etnia ou um grupo específico, também se lapidam a memória e a cultura de um povo. Com isso, chamamos atenção para o perigo do racismo e ensinamos esses alunos a conviver com a diferença", acrescenta.

IMPORTÂNCIA HISTÓRICA

Tucci Carneiro conta que obteve a lista dos nomes dos mais de 250 sobreviventes por intermédio da Claims Conference, instituição sediada nos Estados Unidos que zela pelo bem-estar de sobreviventes do Holocausto no mundo.

Segundo ela, alguns sobreviventes costumam relutar inicialmente em contar a história de como escaparam da máquina de morte criada e executada pelos nazistas.

"Alguns deles não querem passar pelo trauma de ter de relembrar um período difícil. Muitos perderam a família inteira e vieram ao Brasil sem um único centavo", assinala Tucci Carneiro.

"Nossa abordagem é sempre feita com muito cuidado e sempre ressaltamos a importância histórica do depoimento para as gerações futuras", complementa.

A pesquisadora, que também coordena o Arquivo Virtual do Holocausto (ArqShoah) da USP, diz ainda que muitos dos entrevistados possuem documentos de "inestimável valor histórico".

"Eles acabam nos cedendo cópias e registros importantes da época, que nos permitem remontar com maior verossimilhança os horrores do Holocausto", afirma.

"Também sensibilizamos as famílias no sentido de resguardar esse material", acrescenta.

PROJETO MAIOR

Estima-se que apenas em Auschwitz 1,6 milhão de pessoas - a imensa maioria judeus - tenha morrido

A iniciativa de Tucci Carneiro é parte de um projeto maior, chamado 'Travessias: Narrativas e Representações dos Sobreviventes e Refugiados do Nazismo no Brasil'.

Segundo a pesquisadora, a intenção é reunir o maior número de informações possível sobre os judeus que, forçados a deixar seus países de origem em meio à ascensão da Alemanha nazista, passaram pelo Brasil durante a 2ª Guerra Mundial.

"Temos um número expressivo de artistas e intelectuais judeus, entre refugiados e sobreviventes, que aportaram no país antes, durante ou depois do confronto", diz Tucci Carneiro.

"Um dos exemplos foi a pianista polonesa Felicja Blumental, posteriormente naturalizada brasileira. Grande colaboradora de Villa-Lobos e uma das maiores intérpretes de Chopin, ela tornou-se uma das principais promotoras da música clássica brasileira."

"O Brasil precisa dessa memória - que nunca pode ser esquecida", diz Tucci Carneiro.



              Quando Mina nasceu, os médicos disseram que ela tinha apenas 50% de chance de sobreviver. A garota britânica, hoje com dois anos, foi diagnosticada com uma doença grave no coração ainda antes de vir ao mundo e, após seu nascimento, sofria com o cansaço excessivo - resultado de um coração que não funcionava 100%.
Mina tinha um buraco entre duas cavidades de seu coração e precisava passar por uma operação para corrigir o problema. A cirurgia, no entanto, era bastante delicada e o uso de um coração impresso em 3D foi fundamental para o seu sucesso.
Com fotos reais do órgão de Mina, o médico Tariq Hussain conseguiu reproduzir um coração artificial muito parecido usando softwares modernos no computador.
"Médicos de Manchester fizeram um trabalho excelente e conseguiram tirar fotos do coração de Mina. Eu segmentei o material e o deixei nesse formato especial usando um software especial que nos permitia imprimir o novo 'coração'. E aí eu poderia mostrá-lo para o cirurgião", explicou Hussain à BBC.
Tariq Hussain conseguiu "desenhar" o problema do coração de Mina com detalhes minuciosos do que precisava ser corrigido.
Com uma impressora 3D, os médicos imprimiram o coração "fabricado" no computador e puderam ter uma reprodução fiel do órgão de Mina para auxiliar os médicos na hora da cirurgia.
"Dá para ver o buraco que ele tinha que consertar. E quando o cirurgião está com isso na mão, ele consegue analisar e ver exatamente o que tem que fazer e tem mais confiança para a cirurgia. Ele pensa: 'eu sei o que é, sei o que estou procurando e realmente, eu consigo fazer isso'", prosseguiu o médico.

Problema

Hoje, Mina está bem melhor e já não sente os mesmos sintomas que a atrapalhavam antes. 


A terceira foto aparece com a legenda "Socorrooooo" e a última imagem mostra a garota coberta de sangue com o título "Capoto o carrroooo" (SIC). 

Correio Braziliense

Foto: Reprodução/Snapchat.

As selfies parecem não ter limites. O caso bizarro dessa vez ocorreu na BR-364, no Paraná, no último domingo, quando Amanda Machado, 17 anos, decidiu tirar fotos enquanto passeava em um Fiat Strada com um amigo identificado como Maurício Cruz, 24. A primeira imagem, publicadas no Snapchat, mostra a menina dentro do carro com Maurício. Logo em seguida, ela publicou uma foto do velocímetro do automóvel que mostrava a velocidade de 180km/h. No entanto, a imprudência do amigo que dirigia alcoolizado fez com o carro capotasse.

Em vez de ligar e pedir ajuda à polícia ou ao Corpo de Bombeiros, Amanda decide tirar selfies de dentro do carro. A terceira foto aparece com a legenda "Socorrooooo" e a última imagem mostra a garota coberta de sangue com o título "Capoto o carrroooo" (sic). O caso foi registrado pela polícia do Paraná, que diz que nenhum dos dois têm carteira de motorista. Amanda teve apenas ferimentos leves e Maurício quebrou um braço.

Neuróticos por selfie

Segundo o estudo realizado com 1.446 pessoas em todo o país, 90% dos brasileiros tiram selfies, sendo que 58% o fazem pelo menos uma vez por semana. E ainda há 12% que não consegue ficar um dia sequer sem captar o autorretrato digital.

Em relação ao tipo de selfie - sim, hoje em dia tem vários - 72% dos entrevistados preferem incluir familiares ou amigos na foto, o que a consultoria apelidou de “wefie”, enquanto 34% usam dão foco a paisagem na qual estão inseridos e 22% tiram a foto apenas para mostrar onde estão.


por Mariana Desidério


Vista aérea da estação de captação Jaguari, parte do reservatório do sistema Cantareira Nacho Doce/Reuters

A crise da água em São Paulo está se agravando e o cenário não deve melhorar nos próximos meses. Especialistas consultados por EXAME.com afirmam que as soluções de curto prazo existentes já foram tomadas e o que nos resta agora é o rodízio de abastecimento. A Sabesp já cogita um revezamento severo, de cinco dias sem água por semana. Com isso, a pergunta que todo paulistano se faz é: o que vai acontecer se ficarmos realmente sem água?

Os cenários traçados vão desde o esgotamento dos nossos lençóis freáticos, devido à perfuração excessiva de poços, até a redução do horário de funcionamento de alguns estabelecimentos, além da instituição de férias coletivas nas empresas em decorrência da falta de água. Dentro de casa, estocagem de água e economia de alimentos.

O fato é que a atual crise veio para ficar, e os paulistas precisarão mudar os hábitos radicalmente, segundo Gabriela Yamaguchi, gerente de comunicação do Instituto Akatu, instituição que atua na promoção do consumo consciente.

“Esse cenário não vai ficar só em 2015. Devemos permanecer pelo menos dois anos com pouca chuva. Portanto, a situação dos reservatórios não vai melhorar no curto prazo”, afirma Gabriela.

O engenheiro Julio Cerqueira Cesar Neto, especialista na área hídrica, reforça o diagnóstico: “Quando acabar o volume morto do Cantareira deixaremos de ter cerca de 30 metros cúbicos por segundo. Esse é o tamanho do problema. E não tem de onde tirar esse volume de água num curto prazo”, afirma. Antes da crise, a vazão retirada do Cantareira era de 31 metros cúbicos por segundo. Hoje, esse número já baixou para 14, de acordo com a Sabesp.

Caso esse cenário se concretize, Gabriela afirma que a prioridade será dada para serviços essenciais, como hospitais, polícia, bombeiros e escolas. “Em outros locais, como shoppings, é possível que haja uma redução do horário de funcionamento. Também já ouvimos entidades empresariais falarem em férias coletivas para os funcionários, devido à falta d’água”, afirma.

No entanto, a representante do Akatu argumenta que esse tipo de situação ainda pode ser evitado. A solução estaria estar na articulação dos diversos atores sociais para garantir a economia de água.

“Para que não se chegue a isso, é preciso ter mais coordenação no diálogo. Não é possível esperar que só uma campanha de diminuição de consumo da população resolva o problema. Precisamos da participação do setor industrial e do agronegócio”, afirma.

Poços


Enquanto essa coordenação não se concretiza, muitos estabelecimentos já estão recorrendo à perfuração de poços e, em casos extremos, à contratação de caminhões-pipa.

Mas os especialistas explicam que a perfuração não pode ser levada ao extremo. “Se perfurar um poço muito próximo de outro, os dois podem ficar sem água”, diz Cesar Neto.

Outro problema é a possibilidade de que, com muitos poços, a cidade esgote outra fonte de recursos hídricos: os lençóis freáticos. “Com a perfuração de poços, o que estamos fazendo é apenas substituir uma fonte de água por outra. O raciocínio precisa ser diferente. Precisamos mudar nossos hábitos em relação ao consumo”, diz Gabriela.

Um dos caminhos para um uso mais consciente da água, segundo a especialista, é o reuso. A água usada no enxague da máquina de lavar, por exemplo, pode ser reutilizada na descarga. Outra atitude necessária é o aproveitamento da água da chuva, inclusive com a construção de cisternas.

Outro ponto fundamental é observar nosso consumo de produtos que utilizam muita água em sua cadeia produtiva. “O exemplo clássico é o desperdício de alimentos. O maior consumidor de água do mundo é o agronegócio. E o maior desperdício que há no planeta é o de alimentos. Isso precisa diminuir”, afirma.

De acordo com a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, o prazo dado pela Sabesp para iniciar um rodízio drástico no abastecimento é de menos de dois meses. Sendo assim, é preciso correr para aprender a economizar água e a trabalhar em conjunto pela preservação dos recursos hídricos.

Agência Brasil

Antonio Cruz / Agência Brasil
A presidente Dilma Rousseff e o presidente da França, François Hollande, durante declaração à imprensa, no Palácio do Planalto

Os governos do Brasil e da França firmaram hoje (12) uma série de acordos de cooperação sobre vários temas, como agricultura, educação, saúde e tecnologia. Um deles prevê a implantação de um projeto de computação de alto desempenho. De acordo com a presidenta Dilma Rousseff, o plano de trabalho pactuado prevê a aquisição de um supercomputador, a instalação de dois centros de pesquisa – um em Petrópolis (RJ) e outro na capital fluminense – e a transferência de tecnologia para produção nacional dos sistemas de supercomputação para apoiar a pesquisa científica e a inovação.

“Atualmente, apenas dez países detêm capacidade instalada nesse campo. Com a implementação desse plano de trabalho, o Brasil vai entrar para esse restrito grupo e vai desenvolver atividades de pesquisa em áreas estratégicas”, disse.

Em declaração à imprensa, após reunir-se com o presidente francês, François Hollande, Dilma ressaltou a intensificação das relações de comércio entre os países que, segundo ela, “cresceram expressivamente nos últimos cinco anos apesar da crise financeira internacional”. A presidenta também defendeu maior integração entre os blocos econômicos Mercosul e União Europeia. “Reiterei o interesse do Brasil no avanço das negociações Mercosul-União Europeia com vistas à obtenção de um acordo mutuamente vantajoso”, disse.

Dilma Rousseff também destacou a importância da parceria estabelecida por meio do Programa Ciência sem Fronteiras. Ela lembrou que o país europeu é o terceiro principal destino dos estudantes brasileiros que fazem partem da iniciativa, já tendo recebido 4,8 mil bolsistas enviados pelo Brasil, principalmente estudantes de engenharia.

Ao falar à imprensa, Hollande ressaltou que sua vinda ao Brasil ocorre em retribuição à visita que a presidenta Dilma fez à França em dezembro de 2012, ano em que o comércio bilateral atingiu US$ 10 bilhões, com déficit para o Brasil de US$ 1,8 bilhão. A França é o sexto investidor no Brasil e empresas francesas estão presentes em importantes projetos estratégicos e de infraestrutura, como o Campo de Libra e a Hidrelétrica de Jirau. Os países mantêm parceria estratégica desde 2006.

Jay Z compra serviços de streaming de música


O rapper americano gastou 56 milhões de dólares para adquirir os suecos WiMP e Tidal Getty Images

O rapper Jay Z gastou 56 milhões de dólares para comprar a empresa de tecnologia sueca Aspiro, queo opera atualmente dois serviços de streaming: o WiMP e o Tidal.

Ambos os serviços são voltados para audiófilos, oferecendo recomendações diárias de faixas e discos, playlists personalizadas, entrevistas e áudio disponível em formato FLAC, sem perda de qualidade.

O WiMP foi o primeiro dos serviços a ser lançado, em 2010, e está disponível atualmente na Dinamarca, Alemanha, Noruega, Polônia e Suécia.

O Tidal, por sua vez, começou a operar nos Estados Unidos e no Reino Unido durante o ano passado.

Por 19,99 dólares mensais, os usuários do serviço podem acessar 25 milhões de faixas e 75 mil videoclipes, com áudio disponível para streaming e download no formato FLAC.

Tanto o WiMP como o Tidal estão disponíveis para Android, iOS e Windows Phone.

O rapper Jay Z comprou a Aspiro por meio de sua empresa Project Panther Bidco. A Schibsted, grupo de mídia sueco que é acionista majoritário na Aspiro, aceitou a oferta nesta sexta-feira (30).

A empresa do rapper afirma que estava acompanhando o desenvolvimento da Aspiro por algum tempo, descrevendo-a como "uma empresa inovadora de alta qualidade, com crescimento futuro promissor."

Jay Z segue os passos de outros músicos, que também investiram no campo da música digital nos últimos anos.

O cantor Neil Young conseguiu promover um crowdfunding bem sucedido de seu tocador de áudio Pono, que reproduz músicas em alta fidelidade.

O rapper Dr. Dre vendeu a Beats, sua empresa de fones de ouvido e streaming, para a Apple no ano passado, por 3 bilhões de dólares.

Vanessa Daraya, de INFO Online

Getty Images


A prostituição de orangotangos é mais comum do que você imagina. Em alguns países da Ásia, as fêmeas são frequentemente encontradas acorrentadas e sofrem com graves abusos sexuais.

Em 2012, aconteceu o caso mais emblemático, quando a fêmea de orangotango chamada Pony foi encontrada raspada, lavada, perfumada e com batom nos lábios. Estava acorrentada a uma cama para permitir que clientes de um bordel no centro de Bornéu (Indonésia) pudessem abusá-la.

Libertar Pony não foi uma tarefa fácil. Em entrevista para a revista Taringa, a veterinária espanhola Karmele Llano afirmou que a equipe de resgate foi ameaçada com facas. Foi preciso de mais de 30 agentes da polícia para ajudar no resgate.

Depois de um período no centro de reabilitação da BOS, Pony foi levada à ilha fluvial Bangamat, onde vive com outros seis orangotangos. Bangamat é uma das três ilhas usadas para a reintegração dos macacos.

Infelizmente, a história de Pony não é um caso a parte. A prostituição de orangotangos é um problema generalizado não só em Bornéu, mas também na Tailândia. Muitas vezes, traficantes matam as mães para pegar os filhotes quando eles são muito jovens.

Orangotangos são encontrados na Ásia, em Sumatra e Bornéu. Segundo a associação Orangutan Conservancy, há apenas 20 mil orangotangos no mundo. Esse é um sinal de que o animal pode ser extinto em apenas 10 anos, caso continuem a acontecer casos como o de Pony. Segundo um relatório da associação, esta é uma das mais graves ameaças à sobrevivência da espécie, junto com o tráfico de orangotangos como animais de estimação.

A BOS realiza campanhas constantes de conscientização. Os interessados en doações em prol dos orangotangos podem acessar a página no Facebook da organização.

Geraldo Magela/Agência Senado

Braga: ministro afirmou que banco de capacitores da subestação Gurupi, em Tocantins, estava desligado

Bernardo Caram e Eduardo Rodrigues, do Estadão 

         O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, mudou nesta quinta-feira, 29, a versão apresentada pelo governo para explicar as causas do apagãoque atingiu o país no dia 19 de janeiro.

O ministro reconheceu que o equipamento apontado como a razão do problema da linha de transmissão Norte-Sul já estava danificado há mais de um mês.

Braga afirmou que o banco de capacitores da subestação Gurupi, em Tocantins, estava desligado.

Esse equipamento apresentou problemas, pela primeira vez, em outubro do ano passado, e havia registrado outra intercorrência em dezembro.

Isso resultava na restrição das transferências de energia do Norte para o Sudeste.

"O banco de capacitores estava fora de funcionamento, por isso tínhamos de reduzir em 700 megawatts a capacidade de eletricidade que passa naquela linha. Mas, de acordo com o ONS, vários outros sistemas de proteção agiram indevidamente nas usinas que foram desligadas", disse o ministro.

Questionado sobre a demora no conserto do equipamento, que só voltou a operar no último dia 26, Braga disse que não comentaria problemas que começaram na gestão anterior do ministério.

Os dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apontam, no entanto, que, no dia 19, faltou energia para atender ao pico de demanda registrado no Sudeste.

O ministro disse que participará nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, de reunião do conselho do ONS, na qual deve ser apresentado o relatório sobre a investigação das causas do apagão.

De acordo com Braga, o secretário executivo do MME, Márcio Zimmermann, e representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) também participarão da reunião.

Braga disse ainda que o governo negocia com um pool de bancos o alongamento do prazo para pagamento dos empréstimos para as distribuidoras que, somados, chegam a R$ 17,8 bilhões e serão cobrados dos consumidores.

Segundo ele, a proposta é aumentar o prazo de 24 para 48 meses.

"Se alongarmos o pagamento, isso diluirá os juros ao longo de mais tempo. Além disso, os juros devem ficar menores, porque a qualidade dos recebíveis das distribuidoras também será melhor (com o reajuste extraordinário das tarifas)", disse o ministro.

POR FOLHA

                 O “Pânico” tentará se reinventar em sua nova temporada na Band, que começa no dia 22 de fevereiro. De olho na queda de audiência do programa, o líder da trupe, Emílio Surita, vem prometendo uma reformulação geral na atração, um verdadeiro “terremoto”, como ele diz.

Troca de integrantes, compra de formatos internacionais, como games shows, fazem parte do pacote de mudanças do programa, que perdeu cerca de 44% de sua audiência nos últimos cinco anos. Dono de um dos melhores faturamentos da Band, o “Pânico” também está entre os programas mais caros da rede.

Em 2009, auge da atração, o “Pânico” marcou média na casa dos 9 pontos na Rede TV!, sua antiga emissora. Ao migrar para a Band, em 2012, o humorístico manteve o ibope em 8 pontos. Em 2013, caiu para 7 pontos.
Atualmente, o “Pânico” não consegue mais brigar pelos primeiros lugares em audiência aos domingos.

A atração marcou em 2014 média na faixa dos 5 pontos. Cada ponto equivale a 67 mil domicílios na Grande São Paulo.

Entre as novidades já acertadas para a nova temporada está a saída de Wellington Muniz, o Ceará, e a volta de Carlinhos Silva, o “Mendigo”, ao programa.


LOTAÇÃO Rodrigo Sant’Anna é Jefinho, protagonista de “Suburbanos”, série do Multishow produzida em parceira com a Globo (Divulgação)

Imersão Wagner Moura está finalizando na Colômbia as gravações da série “Narcos”, sobre o traficante colombiano Pablo Escobar, que será exibida no Netflix no segundo semestre deste ano.

Cesta O humorista Antônio Tabet e a ex-jogadora Magic Paula serão os comentaristas do canal Space na transmissão do NBA All Star Weekend, nos EUA, que vai reunir estrelas da NBA em partidas no dia 15.

Viola A Globo chegou a pensar em Luan Santana ou Michel Teló para viver um dos protagonistas de “Trem Bom”, novela das 19h, que estreia no segundo semestre. A trama terá o universo da música jovem sertaneja como cenário principal.

Viola 2 A agenda lotada de Luan e Teló mudaram os planos da Globo, que agora procura revelar novos talentos da música sertaneja para integrar o elenco da novela.

Braçada Contratadas em outubro, as gêmeas do nado sincronizado Bia e Branca Feres já estão dizendo “adeus” ao “Vídeo Show”, da Globo. A equipe do programa está sendo totalmente reformulada, revisitando quadros e apresentadores que fizeram parte de sua história.

Exportação O acordo do Porta dos Fundos com a Fox Portugal contempla a exibição de esquetes de internet do grupo, a partir do 17, e de mais dois novos formatos, que vão estrear ao longo do ano no canal lusitano.


(Foto: Reprodução)

           Morreu, nesta terça-feira (27), o físico Charles Hard Townes, considerado o inventor do laser. Charles tinha 99 anos e teve uma carreira admirável, conquistando o Nobel da Física em 1964. Além disso, Townes foi pioneiro no campo da astronomia por infravermelho e foi o primeiro a descobrir água no espaço.

O conceito de laser surgiu em 1950, quando Charles criou o maser, dispositivo que era capaz de produzir ondas eletromagnéticas usando a amplificação de micro-ondas. Após alguns anos, ele teve a ideia de fazer um "maser óptico", que era baseado na amplificação da luz.

Contudo, o nome "laser" só foi aparecer em 1960, quando Gordon Gould e Ted Maiman, que já trabalhavam em uma pesquisa semelhante, construiram o primeiro laser prático, com base também na pesquisa da Townes.

Atualmente, o laser possui uma enorme importância na tecnologia, sendo utilizado não só em gadgets e eletrônicos comuns, mas também fibras ópticas, equipamentos de topografia e impressoras. Além disso, os lasers são usados para cortar materiais como metal e tecidos humanos durante uma cirurgia.

Via Gizmodo

Quem passa pelo Km 159 da BR 381, em Governador Valadares (MG), tem uma surpresa. A estátua de um famoso menino, sentado com as mãos apoiando o queixo e o rosto triste chama a atenção pelo seu tamanho. É uma homenagem ao persoangem Chaves, imortalizado por Roberto Bolaños, e sucesso no SBT há mais de 30 anos. 

O idealizador desta obra é Faisal Homaidan, de 43 anos. Ele queria criar uma referência para a sua churrascaria Turcão e decidiu fazer uma estátua de Chaves, seu ídolo desde a infância: "Sou fã de carteirinha do cara. Uma figura que impactou várias gerações", disse Faisal, que acompanha a série até hoje com seus filhos. 

Foto: Reprodução/Facebook 

Da ideia no papel até a estátua ficar pronta foram três meses. Pode parecer pouco, mas para Faisal foi uma eternidade: "Para quem está de perto demora". 

Foto: Reprodução/Facebook 

Segundo o proprietário da churrascaria, nesta época a BR é bem cheia durante a semana porque as pessoas vão passar o fim de semana na praia, mas que o movimento aumentou também aos sábados e domingos: "As pessoas estão vindo da cidade só para ver a homenagem", contou. 

A estátua de Chaves, construída pelo artista plástico Evandro Di CAetano, possui 5 metros de alura, 2,20m de diâmetro, pesa entre 2,5 e 3 toneladas e custou R$ 50 mil. 

Foto: Reprodução/Facebook 

Foto: Reprodução/Facebook 

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Por Adolfo Nomelini 


          Imagens aéreas registradas pela BBC por meio de um drone mostram como é hoje o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, 70 anos após ser liberado por tropas soviéticas.

O local foi um dos principais palcos da máquina de extermínio criada e executada pelos nazistas durante a 2ª Guerra Mundial.

Estima-se que cerca de 1,6 milhão de pessoas - a imensa maioria judeus - tenham morrido em Auschwitz durante o Holocausto, como é conhecida a política de assassinatos em massa perpetrados pela Alemanha de Adolf Hitler (1889-1945).

Localizado na Polônia, Auschwitz é considerado Patrimônio Mundial da Humanidade pela ONU e recebe milhares de visitantes todos os anos, entre turistas e sobreviventes.

O campo de concentração funcionou de 1940 até praticamente o fim do confronto, em 1945.

A filmagem foi feita pela Global Video Unit (GVU), da BBC.

BBC

BBC

BBC

BBC

BBC

BBC


Gizmodo
Renan Lopes

Um grupo de pesquisadores descobriu uma réplica em miniatura do nosso sistema solar. Ou quase isso, já que o novo sistema descoberto é 7 bilhões de anos mais velho.

Foram necessários quatro anos de interpretação de imagens e dados coletados pela nave espacial Kepler, da Nasa, para compreender a dimensão deste da descoberta. Com 11 bilhões de anos, ele se formou próximo à estrela Kepler-444, que possui cerca de 75% do tamanho do nosso Sol.

Cinco planetas de tamanho pequeno -- comparados a Mercúrio e Vênus -- orbitam a estrela. Para se ter ideia da idade do novo sistema, saiba que o nosso sistema solar tem 4,6 bilhões de anos e a Via Láctea, 13,2 bilhões. Isso significa que quando o nosso Sol apareceu, esse sistema já era relativamente velho.

Sarbuni Basu, professor de astronomia de Yale e um dos pesquisadores que descobriu o novo sistema, conta que as temperaturas extremas da Kepler-444 causam o derretimento de certos materiais de suas camadas, fazendo com que a estrela inteira trema. Essas oscilações alteram o brilho da estrela por pequenos espaços de tempo, o que permitiu aos pesquisadores descobrir o tamanho, idade e composição da Kepler-444.

"Pudemos determinar quantas vezes por segundo a estrela pulsa, e esse número é relacionado à estrutura da estrela," conta Basu. "Então podemos trabalhar de trás para a frente e aprender o que é que tem dentro dela". Esse é o processo usado pela asterosismologia, o estudo do interior estrelas pulsantes.

Os pesquisadores ficaram surpresos com o fato de planetas orbitarem a Kepler-444, já que o sistema planetário nasceu "pouco" tempo depois da Via Láctea. Pesquisadores vêm teorizando sobre quais metais pesados são necessários para que planetas se formem na órbita de uma estrela, então essa descoberta pode ser uma pista para esses estudos, além de abrir a possibilidade de que muitos outros sistemas solares estejam espalhados por aí.

© Reprodução

Com o número crescente de planetas na nossa galáxia, aumenta a chance de que vida extraterrestre esteja mais próxima do que imaginamos. "Estes planetas não estão em áreas habitáveis, mas se encontrarmos planetas tão velhos quanto estes em áreas habitáveis, existem chances de haver vida neles", diz Basu.

Na Terra, pelo menos, levou algum tempo para formas de vida simples evoluírem para seres inteligentes, então não é uma completa loucura imaginar que planetas muito mais antigos que o nosso tenham desenvolvido seres muito mais evoluídos do que os que vivem na Terra.

Reprodução

Fora do ar: grupo hacker ligado a ataques recentes de grande escala chegou a dizer que era responsável pelo incidente, mas o Facebook negou


Da REUTERS

Frankfurt - O Facebook, maior site de mídia social do mundo, e seu serviço de compartilhamento de fotos Instagram sofreram interrupções ao redor do mundo por até uma hora na madrugada desta terça-feira, e a empresa disse mais tarde que o problema foi provocado por um erro em um software interno.

A falha no Facebook aparentemente se espalhou pela Internet e reduziu a velocidade ou bloqueou o tráfego para outros grandes sites, de acordo com relatos de usuários da web e de dispositivos móveis em diversos pontos do globo.

Um grupo hacker ligado a ataques recentes de grande escala chegou a dizer que era responsável pelo incidente, mas o Facebook negou em um comunicado que o problema tenha sido provocado por um agente externo.

"Não foi resultado de um ataque de terceiros, mas, em vez disso, ocorreu após termos introduzido uma mudança que afetou nossos sistemas de configuração", disse o Facebook em comunicado.

"Ambos os serviços estão 100 por cento de volta pata todos." Usuários nos Estados Unidos e em muitos países da Ásia e da Europa relataram estar sem acesso aos sites do Facebook e do Instagram e a seus correspondentes aplicativos para celular a partir de 4h da manhã (horário de Brasília). Os serviços foram restaurados após uma hora de interrupção, segundo usuários.

Durante a falha, usuários do Facebook recebiam a mensagem: "Desculpa, alguma coisa deu errado. Estamos trabalhando e vamos consertar assim que pudermos." Uma conta no Twitter que supostamente representa o grupo hacker Lizard Squad publicou mensagens sugerindo que estava por trás de um ataque que bloqueou vários sites da Internet, incluindo Facebook e Instagram.

O Lizard Squad é um grupo de hackers desconhecidos que reivindicou crédito por ataques recentes de grande escala, inclusive as ações que derrubaram a PlayStation Network, a Sony, e o Xbox Live, da Microsoft, no mês passado.


Portland, nos Estados Unidos, instalou sistema que gera energia hidroelétrica a partir dos canos locais Divulgação

A cidade de Portland, nos Estados Unidos, instalou um sistema que captura energia hidroelétrica da água que corre por um dos principais sistemas hidráulicos da cidade.

A água corrente gira pequenas turbinas colocadas dentro dos encanamentos, gerando energia, que é enviada e armazenada em um gerador.

"É raro encontrar uma nova forma de energia sem impacto ambiental. Esta está dentro de um cano, então nenhum peixe ou espécie ameaçada é impactado", afirma Gregg Semler, presidente da Lucid Energy, startup local que criou o sistema.

Atualmente, as pequenas turbinas geram a energia que é utilizada na usina de tratamento de água de Portland, barateando o custo final da água ao consumidor. A eletricidade necessária para tornar a água potável é um dos principais gastos de qualquer sistema de saneamento urbano.

Apesar da energia gerada pelo sistema não ser suficiente para alimentar uma cidade inteira, os canos podem gerar energia para prédios como escolas e bibliotecas. E, ao contrário da energia solar ou eólica, o sistema pode gerar eletricidade em qualquer horário ou clima.

A empresa espera trabalhar com outras cidades na instalação do sistema, à medida que os encanamentos antigos fiquem defasados.

A startup também espera expandir o sistema para países em desenvolvimento. "É uma grande fonte de energia para lugares onde não há rede elétrica", afirma Semler.

Divulgação/Jacobs School of Engineering/UC San Diego

Tatuagem: equipe de pesquisadores imprimiu eletrodos em papel de tatuagem temporária

Gabriel Garcia, de INFO Online

   Pesquisadores da Universidade de São Diego, nos Estados Unidos, criaram uma espécie de tatuagem que monitora os níveis de glicose de diabéticos, eliminando a necessidade de picadas nos dedos para as medições.

A equipe de pesquisadores imprimiu eletrodos em papel de tatuagem temporária.

Ele era sincronizado com um aparelho, que indicava em um monitor os níveis de glicemia do paciente.

Após cada refeição, os eletrodos geravam uma corrente elétrica.

Como a glicose é repleta de íons de sódio, com carga positiva, eles eram atraídos pela corrente para a superfície da pele, permitindo que o aparelho leia os níveis do carboidrato no sangue.

Os pesquisadores testaram o aparelho em sete pacientes sem diabetes e descobriram que as medidas feitas pela tatuagem eram consistentes com o método tradicional de picada nos dedos.

Amay Bandodkar, estudante de nanoengenharia na universidade de São Diego que trabalhou no estudo, afirma que cada tatuagem temporária funcionava por um dia, custando alguns centavos para o usuário.

A equipe de pesquisadores espera agora encontrar uma forma para que os sensores funcionem de forma contínua, além de gerar uma leitura numérica do nível de glicose.

Os cientistas também planejam expandir as capacidades do aparelho, que poderia servir como uma forma não invasiva de aplicar medicamentos.

DANIELA LIMA
DE SÃO PAULO 25/01/2015 18h19

O nome seria República de São Paulo. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) até poderia ser empossado presidente, desde que tivesse apoiado a separação do Estado do restante do Brasil. "A moeda muito provavelmente não seria o Real. Até porque, né..." Esse é o país dos sonhos de Júlio César Bueno, um professor de história de 24 anos que comanda o Movimento São Paulo Independente.

Na manhã deste domingo (25), dia do aniversário da capital, ele e seu grupo marcaram um encontro em frente ao Obelisco, em frente ao parque Ibirapuera, monumento símbolo da revolução constitucionalista de 1932. "O que nós queríamos era fazer uma visita, mas não vai dar", lamentou.

Apu Gomes/Folhapress

É que os vigilantes do local foram avisados de que haveria uma "manifestação", e decidiram fechar as portas. Como o encontro do grupo foi divulgado na última semana pela "Veja São Paulo", Júlio e seus companheiros entenderam que eram o alvo da precaução. Não pareciam oferecer risco. Ao todo, o grupo não chegava a 20 pessoas.

Apu Gomes/Folhapress
Grupo realiza ato para defender independência de São Paulo do resto do Brasil, em frente ao Obelisco da Revolução de 32, no Ibirapuera

Quando estão na rua, os entusiastas da independência de São Paulo pedem assinaturas de apoio para uma de suas bandeiras: a troca do hino do Estado. Na avaliação do grupo, o Poema dos Bandeirantes "não tem melodia, nem a força" que o Estado merece. Eles advogam a adoção do Hino Constitucionalista, de 1932.

Apu Gomes/Folhapress
Quantas assinaturas querem colher? "Um número significativo, para apresentar a um deputado que simpatize com a causa", diz Júlio.

E há um deputado que simpatize com a causa? "Simpatizante, simpatizante, não. O Coronel Telhada (PSDB) é um político que nós admiramos, mas ele já disse que é contra a separação", concluiu.

Apu Gomes/Folhapress
O movimento foi criado em 1992, viveu um forte ocaso na virada do século e, mais recentemente, retomou suas atividades. "A maioria das pessoas que o fundaram morreu. Então nós começamos a nos falar, nos grupos, na internet", explicou Júlio -ele é o presidente do movimento.


Apu Gomes/Folhapress
"Às vezes marcamos reuniões públicas. As pessoas aparecem para ver do que se trata. Descobrem que não somos um grupo de nazistas, de xenófobos que quer expulsar nordestinos. Veem que somos pessoas normais", explica.


Apu Gomes/Folhapress
O movimento é a favor de que São Paulo tenha uma legislação penal própria, além de regras "objetivas e claras" para imigração. "Não queremos expulsar ninguém, mas o Estado está inchado, com 40 milhões de pessoas. Como controlar isso? Estimulando uma progressão demográfica em níveis controlados."

Apu Gomes/Folhapress
"Centenas de haitianos desembarcaram no Acre fugindo de seu país. O que fez o governador Tião Viana [PT]? Mandou todos eles para São Paulo. Claro, né? São Paulo resolve. Algumas pessoas acham que a gente não tem problema, que São Paulo é a Suécia. O Tião Viana pegou os haitianos e mandou para cá. Quem é xenófobo? Eu ou ele?", provoca Júlio.

Eles dizem não serem filiados a nenhum partido. Júlio criticou a presidente Dilma Rousseff (PT) e seus principais adversários na última eleição, Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB). Diz que os governadores de São Paulo, inclusive Geraldo Alckmin, foram "frouxos" e não estão preocupados de fato com o Estado.

"Eles só pensam em uma coisa: Brasília. Querem ser presidentes", diz.

A principal justificativa para defender a independência do Estado é financeira. "São Paulo é o Estado que mais produz riquezas e esse dinheiro se perde na corrupção de Brasília", diz Júlio.

Questionado se seria um bom momento para pedir a independência do Estado, justo quando ele atravessa a maior crise hídrica de sua história a ponto de precisar buscar água em rios federais para tentar resolver o problema a longo prazo, Júlio é pragmático.

"São Paulo produz R$400 bilhões por ano. Com esse dinheiro, eu dessalinizo água, como faz Israel. Eu tenho dinheiro, eu compro água", responde. "Nenhum povo que buscou a independência se arrependeu. São Paulo não vai ter saudade do colonialismo de Brasília", conclui Júlio.

Recomende e compartilhe para seus amigos no facebook

ivythemes

{facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google-plus#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}

MKRdezign

{facebook#http://www.facebook.com/MundoMS} {twitter#http://twitter.com/MundoMSOficial} {google-plus#http://plus.google.com/+MundoMSOficial} {pinterest#http://br.pinterest.com/MundoMS/} {youtube#http://www.youtube.com/c/MundoMSOficial} {instagram#http://www.instagram.com/mundomsoficial}

Envie seu Recado ao Mundo MS🌏

الاسم

بريد إلكتروني *

رسالة *

يتم التشغيل بواسطة Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget