سبتمبر 2014

(Foto: reprodução)

A Microsoft confirmou em evento nesta terça-feira, 30, o nome do novo Windows. O novo sistema operacional da empresa, para surpresa de todos, se chamará Windows 10, pulando o número 9.

A confirmação veio por Terry Myerson, chefe da divisão de sistemas operacionais da companhia, que confirma também que o Windows 10 será aplicado em todos os dispositivos. Isso significa que você poderá rodar o novo software no seu celular, tablet ou PC.

De acordo com ele, o novo sistema terá uma única loja de aplicativos, permitindo que os apps sejam descobertos, comprados e atualizados por todas as plataformas.

Myerson aproveitou para “trollar” todos os jornalistas no evento, brincando com as especulações sobre o nome. “Não seria certo chamar de Windows 9”; “Windows One... mas infelizmente o Windows 1 já foi feito”.

A provável explicação para o "10" no nome é que o Windows 8.1 teoricamente é considerado o nono sistema operacional da empresa, que sentiu que poderia pular o número 9 por isso. A empresa, no entanto, diz que o salto do 8 para o 10 "representa o salto tecnológico dado entre uma geração e outra do sistema operacional".

Novidades

Como previsto, o botão Iniciar está de volta reimaginado, mesclando o tradicional do Windows 7 com os blocos dinâmicos do Windows 8, que também são redimensionáveis conforme o gosto do usuário.

A empresa também revelou que o novo menu Iniciar terá uma nova ferramenta de buscas integradas, que também apresentará resultados da web. Ou seja: o novo Windows é mais Bing do que nunca.



A Microsoft parece ter feito isso para solucionar as críticas ao Windows 8, que pareceu ter sido desenvolvido com telas de toque em mente, deixando um pouco de lado os usuários de teclado e mouse. “Nós não queremos esta dualidade, queremos que os usuários do PC com teclado e mouse tenham uma interface familiar”, explica Joe Belfiore. Por isso, os aplicativos da Windows Store agora poderão ser executados como janelas, o que não era possível antes.

Outra das novidades apresentada é um novo sistema de multitarefa, que permitirá ao usuário gerenciar múltiplos desktops. Assim, cada um dos desktops terá seus próprios aplicativos sendo executados, e a transição entre eles será simples.



Para o toque

Se o Windows foi redesenhado para dar melhor suporte ao teclado e mouse, e os dispositivos de toque? A empresa também apresentou novidades nesta área, mas manteve a Charm Bar lateral, que era um problema para o mouse, mas muito útil para o toque.

O multitarefa, com múltiplos desktops, está presente para os usuários de toque, mas repaginado para ser mais agradável ao toque, com botões maiores e mais amigáveis.

A tela de Início também estará disponível como ela existia no Windows 8 para quem prefere utilizar o sistema no modo de toque. Já para quem tem um laptop conversível, será possível alternar entre as versões “Metro” e o novo desktop.



Disponibilidade

A partir desta quarta-feira, 1º de outubro, será lançado o “Windows Insider Program”, que permitirá a desenvolvedores e empresas testarem o “Technical Preview” do Windows 10. O lançamento comercial do software acontecerá em algum momento de 2015, ainda não especificado.

Via The Verge



Pesquisa realizada em 135 países mostra onde a população está satisfeita com o seu bem-estar e em quais locais as pessoas estão descontentes com suas vidas

Um novo estudo que avaliou o bem-estar pelo mundo mostra em quais países a maioria das pessoas está feliz com a vida que levam. Revelou também os locais onde a população encontra-se mais descontente com certos aspectos do seu cotidiano.

A pesquisa, chamada Global Well-Being Index e conduzida pela consultoria Gallup and Healthway, pediu aos entrevistados que se manifestassem sobre os cinco elementos principais que compõem a noção de bem-estar: propósito (gosta do que faz diariamente); social (tem relacionamentos saudáveis em sua vida); financeiro (faz um bom gerenciamento de suas finanças); comunidade (sente-se bem em sua vizinhança) e físico (considera ter uma boa saúde).

Realizado com 133 mil pessoas em 135 países, o estudo revelou, por exemplo, que é o Panamá o lugar que conta a maior percentagem de pessoas que se consideram bem-sucedidas em três ou mais elementos do bem-estar. Já em países como a Croácia, 93% da população declarou que sua situação atual é, em geral, insatisfatória.


1 - Panamá
Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%)
61

Propósito (%)
66

Social (%)
68

Financeiro (%)
32

Comunidade (%)
58

Físico (%)
63


2 - Costa Rica

Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%) 44

Propósito (%) 50

Social (%) 58

Financeiro (%) 28

Comunidade (%) 45

Físico (%) 45

3 - Dinamarca

Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%)
40

Propósito (%)
45

Social (%)
29

Financeiro (%)
59

Comunidade (%)
51

Físico (%)
36

4 - Áustria

Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%)
39

Propósito (%)
36

Social (%)
27

Financeiro (%)
64

Comunidade (%)
52

Físico (%)
35

5 - Brasil

Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%)
39

Propósito (%)
45

Social (%)
52

Financeiro (%)
19

Comunidade (%)
41

Físico (%)
44

6 - Uruguai

Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%) 37

Propósito (%) 39

Social (%) 54

Financeiro (%) 27

Comunidade (%) 34

Físico (%) 43

7 - El Salvador

Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%) 37

Propósito (%) 49

Social (%) 51

Financeiro (%) 18

Comunidade (%) 37

Físico (%) 40

8 - Suécia

Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%) 36

Propósito (%) 33

Social (%) 29

Financeiro (%) 72

Comunidade (%) 45

Físico (%) 28


9 - Guatemala

Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%) 34

Propósito (%) 42

Social (%) 48

Financeiro (%) 18

Comunidade (%) 40

Físico (%) 41

10 - Canadá

Bem-sucedidos em 3 ou + elementos (%) 34

Propósito (%) 36

Social (%) 39

Financeiro (%) 52

Comunidade (%) 43

Físico (%) 28


Mais infelizes
Agora veja em quais países a população declarou estar mais insatisfeita com sua situação atual.


1 - Síria

Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 99

Propósito (%) 60

Social (%) 64

Financeiro (%) *

Comunidade (%) 38

Físico (%) 13

*Não há dados específicos sobre este elemento, mas a consultoria lembra que, atualmente, apenas 16% dos sírios trabalham, no mínimo, 30 horas por semana.

2 - Afeganistão

Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 99

Propósito (%) 76

Social (%) 43

Financeiro (%) 74

Comunidade (%) 5

Físico (%) 10

3 - Haiti

Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 97

Propósito (%) 43

Social (%) 57

Financeiro (%) 29

Comunidade (%) 39

Físico (%) 29

4 - República Democrática do Congo

Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 87

Propósito (%) 42

Social (%) 45

Financeiro (%) 55

Comunidade (%) 24

Físico (%) 27

5 - Chade
Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 95

Propósito (%) 44

Social (%) 45

Financeiro (%) 59

Comunidade (%) 30

Físico (%) 33

6 - Madagascar

Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 94

Propósito (%) 46

Social (%) 44

Financeiro (%) 50

Comunidade (%) 13

Físico (%) 20

7 - Uganda

Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 94

Propósito (%) 30

Social (%) 35

Financeiro (%) 61

Comunidade (%) 28

Físico (%) 25

8 - Benim

Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 94

Propósito (%) 50

Social (%) 48

Financeiro (%) 67

Comunidade (%) 20

Físico (%) 17

9 - Croácia

Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 93

Propósito (%) 38

Social (%) 21

Financeiro (%) 38

Comunidade (%) 12

Físico (%) 21

10 - Geórgia

Insatisfeitos em 3 ou + elementos (%) 93

Propósito (%) 60

Social (%) 27

Financeiro (%) 56

Comunidade (%) 17

Físico (%) 33


O automóvel particular, o grande vilão da história, aos poucos vai perdendo espaço para a simpática mocinha magrela, a bicicleta

Afonso Capelas Jr., do

ICLEI/Creative Commons

Suwon: 500 bicicletas estão agora à disposição para aluguel

 O movimento mundial por metrópoles com melhor mobilidade urbana e, de quebra, mais humanas e com maior qualidade de vida não para de crescer e frutificar.

O automóvel particular, o grande vilão dessa história, aos poucos vai perdendo espaço para a simpática mocinha magrela, a bicicleta.

De Madri vem o exemplo mais contundente: de acordo notícia veiculada no início da semana pelo jornal El País, a câmara municipal da capital espanhola decretou a proibição de veículos na região central.

A medida valerá a partir do início de 2015 em uma área de quase dois quilômetros, onde dezenas de câmeras de segurança vão garantir multas pesadas para motoristas que não respeitarem a lei.

Em março, também Paris já havia proibido a circulação de automóveis particulares nas ruas centrais da cidade.

Mas a Coréia do Sul radicalizou de vez com um incrível Festival Mundial da Eco-Mobilidade, na cidade de Suwon, dando um grande exemplo a ser seguido.

O desafio: durante um mês inteiro os moradores de um bairro chamado Haenggung-dong deveriam abandonar seus carros e se locomover com opções mais sustentáveis, como bicicletas, transportes públicos e caminhadas.

Durante os trinta dias da empreitada quase 4 500 pessoas nem chegaram perto de seus cerca de 1 500 carros. O evento aconteceu exatamente um ano atrás, mas os efeitos do festival hoje são ainda mais percebidos.

Os moradores de Suwon acharam tão interessante e divertida essa mudança de hábitos que a adotaram em definitivo.

Ouvindo as reivindicações da população, as autoridades adaptaram as ruas do bairro Haenggung-dong.

Muitas delas transformaram-se em calçadões onde agora muitas árvores e bancos as tornaram mais amigáveis a pedestres e ciclistas.

Os moradores de Suwon queriam ainda mais e conseguiram: estacionamentos localizados nas principais avenidas foram desativados e 500 bicicletas estão agora à disposição para aluguel.

Antes os reis da rua, os carros ficaram relegados a segundo plano. Os que ainda circulam não podem ultrapassar os 30km/h. Mas só durante a semana, porque aos sábados e domingos eles estão proibidos, como todos pediram.

Enquanto isso, na contramão segue o avanço das bicicletas. Em São Paulo, uma pesquisa mostrou que 80% da população aprova a expansão das ciclovias e quer mais é que elas proliferem.

O prefeito já abriu 80 quilômetros delas e promete 400 quilômetros até o final do ano, inclusive na periferia da capital paulista. Em Nova Iorque, a prefeitura já abriu 700 quilômetros de caminhos exclusivos para bikes.

E para os comerciantes – tanto os nova-iorquinos, como os paulistanos – que chiaram com as novas ciclovias, porque diziam que elas atrapalhavam as vendas, o veredicto final: um estudo encomendado pelo Departamento de Transportes da metrópole norte-americana provou exatamente o contrário.

A pesquisa chamada Measuring the street: New metrics for the 21st century (Medindo a rua: novas métricas para o século 21) apontou que, em determinadas ruas onde as ciclovias foram instaladas o movimento do comércio cresceu substancialmente.

A Alemanha é um dos países mais avançados no mundo em iniciativas e desenvolvimento de tecnologias alternativas

Suzana Camargo, do

John Morgan/Creative Commons

Munique: meta daria à cidade título de metrópole líder em sustentabilidade no planeta

Autoridades de Munique, terceira maior cidade da Alemanha, anunciaram nos últimos dias que assumiram o desafio de suprir a demanda de eletricidade com energia 100% renovável até 2025.

Se atingida, a meta ambiciosa daria à cidade o título de metrópole líder em sustentabilidade no planeta.

A Stadtwerke München, or SWM, empresa municipal de eletricidade, terá que produzir cerca de 7,5 bilhões de kilowatts hora de energia verde para uma população de mais de um milhão de habitantes.

Entre os diversos projetos já em andamento para alcançar a meta proposta pela prefeitura, está a instalação de uma usina hidrelétrica instalada no Rio Isar.

O funcionamento da planta garantiu o abastecimento de energia de fonte limpa a 4 mil residências da cidade alemã. E no zoológico de Munique, esterco de elefante é convertido em biocombustível.

A Stadtwerke München também tem investido em projetos renováveis em outros países europeus, como uma planta solar em Andalusia, na Espanha, e em fazendas eólicas no Mar do Norte, entre Inglaterra e Escandinávia.

A eletricidade produzida nestes lugares alimenta o grid integrado da Europa. Muitas empresas e comerciantes locais também estão fazendo sua parte ao optar por energia limpa junto às suas companhias de eletricidade.

O Parlamento da Comunidade Europeia já tinha definido como objetivo para as nações membro ter pelo menos 20% da energia proveniente de fontes limpas, como vento, sol ou biomassa.

A Alemanha é um dos países mais avançados no mundo em iniciativas e desenvolvimento de tecnologias alternativas.

A Agência Espacial Europeia fixou 12 de novembro como data para a primeira aterrissagem da história em um cometa, que será feita pela sonda Rosetta



AFP

Foto do cometa 67P/Churiumov-Guerassimenko tirada pela câmera da sonda Rosetta

Paris - A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) fixou nesta sexta-feira em 12 de novembro como data para a primeira aterrissagem da história em um cometa, que será feita pela sonda Rosetta, segundo informou a ESA em comunicado.

Se for confirmada a primeira chance de aterrissagem, no chamado "ponto J", às 5h35, horário de Brasília, do dia 12 de novembro o módulo Philae se separará da Rosetta, situada nesse momento a 22,5 quilômetros do centro do cometa Churyumov-Gerasimenko, no qual se espera que aterrisse sete horas mais tarde.

A confirmação da chegada do módulo nas estações terrestres chegará por volta das 13h, levando em conta que quando a Rosetta emitir um sinal, levam 28 minutos e 20 segundos até que chegue à Terra.

Em caso de se recorrer a uma solução alternativa, o conhecido como "ponto C", a separação do Philae aconteceria às 13h04 10h04 a uma altitude de 12,5 quilômetros do cometa e a aterrissagem no Churyumov-Gerasimenko teria lugar quatro horas depois, de modo que o sinal na Terra chegaria às 14h30.

A ESA confirmará definitivamente em 14 de outubro próximo qual dessas duas opções prefere, após uma série de avaliações sobre a base das imagens de alta resolução dos dois locais de aterrissagem possíveis.

Uma vez que se tenha separado da Rosetta, o módulo disporá de uma autonomia de energia de dois dias e meio com sua pilha de combustível e, quando esta se esgotar, se alimentará de seus painéis solares.

Graças a seus 11 instrumentos científicos, o módulo estudará o cometa e seu ambiente enquanto cobre sua órbita elíptica em torno de Júpiter, que demora 6,5 anos para percorrer.

A Rosetta, por sua vez, realizará uma observação à distância do cometa com uma série de sobrevoos nas proximidades de seu núcleo.

A sonda está há dez anos viajando pelo espaço para tentar obter respostas sobre a origem do Sistema Solar.

Os pesquisadores centraram sua atenção nos cometas, aos quais consideram "cápsulas do tempo" porque se formaram na origem do Sistema Solar há cerca de 4,5 bilhões de anos, embora desde então se afastaram da estrela.

Adolescente é bonita mas tem um problema muito sério, segundo o pai

Um empresário brasileiro do setor da indústria está oferecendo cinco milhões de reais, para quem aceitar se casar com a sua filha, Ana Alice de Almeida Alves, uma adolescente de 20 anos. A garota está desesperada à procura de namorado. Ela chegou a conseguir 42, mas, todos desistiram e foram embora, uma semana após conhecê-la pessoalmente.


O empresário garante os cinco milhões, mas com uma condição: o casamento deve durar pelo menos 20 anos, ou o dinheiro deve ser devolvido com juros. Justificando por que pretende comprar um casamento para a filha, o empresário disse que Ana Alice é bonita, mas é louca, ninguém atura ela por muito tempo.


"Ela é extremamente ciumenta, já colocou a faca no pescoço de um ex-namorado por que ele recebeu um SMS da operadora desejando-lhe um feliz aniversário na madrugada; Também já eletrocutou um outro namorado porque ele olhou para uma garota que passava na rua; Ela também exige ter acesso as senhas de e-mails e redes sociais do namorado. Quem aceitar se casar com ela merece mesmo os cinco milhões", disse o pai de Ana Alice.

State of the Rainforest 2014, relatório divulgado na Noruega, alerta para a crescente degradação dos ecossistemas nos trópicos

Suzana Camargo, do

Getty Images

Floresta tropical: instituições concordam que a destruição atingiu um nível alarmante

A humanidade conquistou um progresso impressionante nas últimas gerações: as pessoas vivem mais, menos crianças morrem, a extrema pobreza está dimuindo e o ensino e a educação estão pouco a pouco, se tornando direitos universais.

Todavia, na área ambiental, não há motivo para celebração. Estamos emitindo cada vez mais gases de efeito estufa e com isso o planeta está mais e mais quente.

O resultado direto deste comportamento é a perda irreparável de espécies da fauna e da flora e da degradação de diversos biomas.

O texto acima está no prefácio do relatório State of the Rainforest 2014, divulgado agora em setembro, na Noruega.

Esta é a terceira edição do documento, publicado pela Rainforest Foundation Norway, e que utiliza informações de organizações e comunidades locais do mundo todo para analisar as condições das florestas tropicais do planeta.

O relatório norueguês aponta, entretanto, divergências entre os números calculados por suas duas principais fontes, que utilizaram diferentes metodologias e tecnologias: o Global Forest Resources Assessment, elaborado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), de 2010, e o levantamento da Universidade de Maryland, de 2013.

De acordo com o primeiro, 130 mil km² de florestas são perdidas por ano no planeta, a maior parte delas nos trópicos. Já a universidade americana afirma que seriam 92 mil km².

Mesmo não havendo consenso sobre o número exato, ambas instituições concordam que a destruição atingiu um nível alarmante.

Segundo os pesquisadores de Maryland, somente 1,1 milhão de km2 desapareceu entre os anos de 2000 e 2012.

Para efeito de comparação, seria o mesmo que três Noruegas tivessem simplesmente sumido do mapa.

Apesar de ocuparem apenas 6% da superfície terrrestre, em regiões equatoriais da América, África, Sudeste da Ásia e Oceania, as florestas tropicais têm papel importantíssimo para a regulação do clima, o equilíbrio ambiental de biomas e a sobrevivência de muitas comunidades.

Mas a crescente destruição destas áreas continua, apesar do tema ter se tornado foco principal em várias discussões e encontros globais, e da ciência já ter provado a importância destes ecossistemas para a mitigação do aquecimento global.

No passado, as florestas tropicais cobriram cerca de 18 milhões de km² da superfície terrestre.

Atualmente, esta extensão foi reduzida à metade. Estes biomas são como um termômetro da saúde do planeta.

Estima-se que mais de 50% das plantas e animais terrestres vivam nestas regiões, ou seja, quase 1 milhão de espécies identificadas que têm as florestas tropicais como habitat.

Mas os cientistas acreditam que este número possa chegar a 5 ou 10 milhões - só na Amazônia foram descobertos 441 novos animais e plantas desde 2010.

"É a biblioteca biológica da Terra. A maior parte da informação dela ainda nem é conhecida pela ciência", afirmou Dag Hareide, diretor executivo da Rainforest Foundation Norway. "Estamos queimando esta biblioteca".

Além da perda de biodiversidade, as florestas contêm uma quantidade enorme de carbono armazenada.

A destruição delas gera emissões de CO2 iguais àquelas provocadas por todos os automóveis do mundo.

O relatório europeu afirma ainda que, a maior parte das perdas das florestas tropicais ocorreu nos últimos 50 e 60 anos.

O Brasil recebeu elogios, por ter sido o único a reduzir o desmatamento de forma significativa globalmente.

Nosso país e a Indonésia têm as duas maiores áreas de florestas tropicais do planeta, mas também aparecem entre os principais emissores de gases de efeito estufa no mundo.

Fazem parte do State of the Rainforest 2014 artigos de especialistas internacionais, entre eles, um assinado pelo engenheiro florestal brasileiro Tasso de Azevedo, curador do Blog do Clima, aqui no site Planeta Sustentável.

"Herói florestal, mas ainda campeão em desmatamento" é o título do texto de Azevedo, que afirma que a atual redução na taxa de destruição das florestas brasileiras se deve, entre outros fatores, ao retrocesso provocado pela aprovação do novo Código Florestal.

Segundo ele, há necessidade de demarcar mais áreas e reservas de proteção ambiental e incrementar políticas inovadoras, como foi feito no início dos anos 2000.

Por fim, o documento internacional enfatiza a urgência na redução dos indíces de desmatamento. Entre as ações sugeridas estão fazer da proteção florestal uma das prioridades dos novos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) a serem estabelecidos pelas Nações Unidas, em 2015, e proporcionar recompensas e estímulos reais aos países com florestas tropicais que investirem na proteção destes ecossistemas.

O ensaio clínico com o antiviral japonês favipiravir (Avigan) vai começar no início de novembro com cerca de 60 doentes da Guiné



Dominique Faget/AFP

Funcionários da área da saúde usam roupas de proteção contra o ebola em hospital

O Instituto francês de Saúde e Investigação Médica (Inserm) vai testar o antiviral japonês favipiravir (Avigan), um dos tratamentos experimentais contra o vírus ebola, na Guiné-Concacri, em novembro, segundo um dos especialistas da instituição.

O ensaio clínico vai começar no início de novembro com cerca de 60 doentes da Guiné, informou Jean-François Delfraissy, que dirige o Instituto de Microbiologia e Doenças Infecciosas do Inserm, em entrevista publicada hoje (20)

“Vamos testar o efeito de dosagens elevadas dessa molécula sobre o homem, os seus efeitos sobre a carga viral e a mortalidade”, explicou.

Não existe atualmente nenhum tratamento reconhecido oficialmente para lutar contra o ebola, que atinge atualmente, de forma violenta, quatro países da África Ocidental, no pior surto registrado até hoje.

Existem diversos tratamentos experimentais em todo o mundo, mas esses produtos não estão, geralmente, disponíveis, em grandes quantidades.

Entre eles está o favipiravir, um antiviral contra a gripe aprovado em março pelo Japão, mas que pode ter também efeitos sobre o ebola, apresentando como principal vantagem o fato de poder ser administrado sob a forma de comprimidos, mais fáceis de usar em zonas com infraestrutura precária de saúde.

Um porta-voz da empresa japonesa Toyama Chemical, uma filial da Fujifilm, que desenvolveu o antiviral, assegurou em agosto que as reservas eram suficientes para mais de 20 mil pessoas.

A concentração começa amanhã às 8h e a largada às 9h, próximo ao Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo

Flavia Villela, da

Ricardo Stuckert/ Fotos Públicas

Rio de Janeiro: passeio de bicicleta marcado para este domingo

Cerca de 25 mil ciclistas do Rio devem percorrer 12 quilômetros ao longo da Baía de Guanabara neste domingo (21), em um passeio ciclístico às vésperas do Dia Mundial Sem Carro, celebrado em 22 de setembro.

O presidente da Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecierj) e um dos idealizadores do evento, Cláudio Santos, contou que nesta 27ª edição a procura foi tão grande que o passeio ocorrerá em dois dias.

“Também faremos um passeio em Niterói no dia 27". O objetivo é contribuir para a desaceleração do aquecimento global. No ano passado, segundo Santos, foram 19 mil inscritos. "Neste ano, estamos oferecemos um kit e já temos mais de 21 mil inscritos”, acrescentou.

A concentração começa às 8h e a largada às 9h, próximo ao Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo, zona sul. O trajeto que vai até a enseada de Botafogo, ida e volta, deve durar aproximadamente uma hora e 15 minutos. No local de partida e chegada haverá também mecânicos especializados para fazer regulagens e pequenos reparos.

“O clima vai mudar radicalmente daqui a 20 anos e estamos muito preocupados com isso - 70% do monóxido de carbono são provenientes dos gases despejados por veículos motorizados. Conseguimos provar que é possível se locomover sem carro. Nossa bandeira é ter um planeta mais saudável e melhor qualidade de vida”, comentou.

As inscrições terminam hoje (20) e custam R$ 10,00. O kit inclui camisa, bolsa de praia personalizada, boné, garrafinha de água, dois ingresso do metrô, medalha, protetor solar, Código de Transito Brasileiro de bolso, adesivo e um número para concorrer a 20 bicicletas de 21 marchas. Os locais para inscrição podem ser encontrados no site da Facierj (http://www.fecierj.org.br/novosite/index.asp)

Os ciclistas terão à disposição também uma embarcação de 2 mil lugares para trafegar de Niterói ao Rio de Janeiro no trajeto Praça Arariboia-Praça XV. O usuário poderá comprar o bilhete sem precisar pagar para levar a bicicleta.

Carlos comemorou que passados 27 anos desde a primeira edição do passeio ciclístico, o aumento da utilização da bicicleta tornou-se significativo no Rio. “Conseguimos trazer novos adeptos, aumentou o número de ciclovias e bicicletários públicos e em estabelecimentos como shoppings. Nosso trabalho é estimular esse transporte”, lembrou o organizador do evento.

Claudio lamentou, entretanto, que o transporte público de massa no país seja pouco eficiente. “O uso da bicicleta geralmente é feito até oito quilômetros e por isso a integração com o transporte publico de massa é fundamental. Em alguns países da Europa, essa integração é prioridade, os pedágios são altíssimos para carros, a prefeitura empresta bicicletas para os cidadãos, há ciclovias por toda a parte”, disse.


Buenos Aires, 12 set (EFE).- As pessoas felizes são mais criativas, ricas e saudáveis do que as consideradas infelizes, mas a felicidade obtidas por eventos, como o casamento ou receber um aumento de salário, tem prazo de validade, e ele é curto: no máximo de dois anos, afirmou em Buenos Aires nesta sexta-feira a psicóloga social Sonja Lyubomirsky.

Segundo ela, os seres humanos têm grande capacidade de 'adaptação hedonista', que consiste em se acostumar a tudo de positivo que nos acontece.

'A felicidade provocada por estes eventos costuma se expandir por algum tempo, a ciência calcula um máximo de dois anos. Depois, a felicidade diminui e é preciso buscar outro estímulo que volte a dispará-la', afirmou a especialista durante o Simpósio Vida Ativa e Saudável da Série Científica Latino-Americana.

Essa adaptação permite explicar também, segundo ela, os resultados de um estudo que revelou que as pessoas que expressam agradecimento apenas uma vez por semana são mais felizes do que as que agradecem frequentemente.

'Quando você agradece muitas vezes por semana parece que se torna um hábito e então você já não se sente tão feliz', disse a especialista durante a conferência.

Sonja, autora dos livros 'A ciência da felicidade' e 'Os mitos da felicidade' perguntou ao auditório: 'Quantos de nós não queríamos ser mais felizes? Ser feliz é algo como um desejo universal'.

A especialista, que é professora de Psicologia na Universidade da Califórnia, defendeu que a felicidade tem grandes benefícios para a saúde, entre eles a melhoria do sistema imunológico e uma maior resistência para o estresse e o trauma.

'As pessoas mais felizes têm menos riscos de ter ataques cardiovasculares ou infartos, além de ter menos possibilidades de morrer de distintas causas que vão desde a orgânica até acidentes de carro', acrescentou.

As vantagens de ser uma pessoa feliz se estendem também ao ambiente de trabalho e ao afetivo, opinou Sonja ao afirmar que aqueles que possuem essa característica têm melhores trabalhos e salários, são mais produtivos e criativos e têm mais amigos, apoio social e mais possibilidades de se casar e ter boas uniões.

De acordo suas pesquisas, que lhe renderam um Prêmio Templeton de Psicologia Positiva e uma bolsa de estudos do Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos, 'as pessoas que se autodenominam felizes são também as mais ativas'.

'Uma vida ativa é um remédio infalível para manter o organismo em estado de funcionamento estável e fortalecido', continuou.

Realizar atividade física e fazê-las com motivação e não por obrigação, melhora nossa felicidade, mas esta tem também uma forte base genética, advertiu Sonja

'Nascemos com predisposição para à felicidade. Alguém pode ter, por exemplo, vários filhos e notar que alguns são mais naturalmente felizes do que outros', apontou.

'A genética determina a felicidade em 50%. No entanto, além dos 10% que devem as circunstâncias externas ou o contexto, 40% de nossa felicidade é determinada por atividades exteriores, ações que levamos adiante externamente para nos sentirmos mais felizes', detalhou.

Conhecidas estas porcentagens, a especialista sugeriu que as pessoas fixem objetivos e se concentrem nesses 40% que estão em nossas mãos para conseguir a tão desejada felicidade e os múltiplos benefícios a ela associados.

Luciano Leon/Raw Image/Folhapress
Patrícia Moreira, 23, torcedora do Grêmio, chora ao se pronunciar para a imprensa, em Porto Alegre

PAULA SPERB

A casa em que a gremista Patrícia Moreira morava, em Porto Alegre, pegou fogo na madrugada desta sexta-feira (12). A torcedora deixou o local após chamar o goleiro Aranha, do Santos, de "macaco"durante uma partida contra o Grêmio, em 28 de agosto.

Os danos foram localizados. O fogo atingiu principalmente um piso de cimento, numa espécie de terraço da casa, e não havia materiais inflamáveis na área.

"Tudo indica que foi criminoso", disse o delegado Tiago Madalosso Baldin, do 14º Distrito Policial da capital gaúcha. Segundo o delegado, a casa estava vazia porque foi colocada para alugar.

O Corpo de Bombeiros foi acionado às 5h e chegou ao local dois minutos depois, de acordo com o boletim de ocorrência da corporação.

Felipe Bächtold/Folhapress

Segundo o major Elemar Linei de Mello Fernandes, no entanto, a equipe não chegou a apagar o fogo. "As chamas já tinham sido combatidas por populares", disse o major.

Felipe Bächtold/Folhapress


Casa de gremista que xingou Aranha pega fogo em Porto Alegre; hidrômetro e caixa de luz foram danificados Leia mais

O delegado afirmou que o irmão de Patrícia foi avisado sobre o incêndio por volta das 5h e "tomou providências" antes de a perícia ser acionada, mas não deu mais detalhes sobre o que foi feito.


Felipe Bächtold/Folhapress


Casa de gremista que xingou Aranha pega fogo em Porto Alegre; hidrômetro e caixa de luz foram danificados Leia mais


Baldin disse que só poderá confirmar que o incêndio foi criminoso depois que a perícia for realizada.

O hidrômetro e a caixa de luz da casa derreteram com o fogo. Ainda não há suspeitos, mas a polícia ouvirá os vizinhos da casa.


Felipe Bächtold/Folhapress


Casa de gremista que xingou Aranha pega fogo em Porto Alegre; hidrômetro e caixa de luz foram danificados Leia mais

Por volta de 15h30, três policiais civis aguardavam na casa, na zona norte de Porto Alegre, a chegada da perícia.

O CASO

Depois de ter sido identificada em um vídeo em um ato racista contra Aranha, Patrícia, que era sócia do Grêmio, foi expulsa do clube. Ela também foiafastada do emprego –era auxiliar de saúde bucal na Brigada Militar, a PM do RS– no dia seguinte.

No dia 3 de setembro, o Grêmio foi excluído da Copa do Brasi por causa dos xingamentos na partida contra o Santos.

Em depoimento à polícia, Patrícia disse que não tinha intenção de ofender o jogador.

Pedro H. Tesch/Brazil Photo Press/Folhapress

O goleiro Aranha aponta para torcedores após sofrer ofensa racista

As de mergulho em águas cristalizas, por exemplo, foram tiradas em sua piscina e depois modificadas no computador. Foto: Divulgação

A expressão "viajar sem sair de casa" nunca fez tanto sentido. Pelo menos para a holandesa Zilla Van Den Born, de 25 anos. Para completar um trabalho acadêmico, a moça forjou uma viagem para o Cambodia e a Tailândia e nem precisou deixar a sua cidade, Amsterdam.

Para convencer seus amigos e familiares, Zilla usou bastante Photoshop em suas fotos, muita criatividade e, para a divulgação, as redes sociais. Além de postar as fotografias da "viagem dos sonhos" no Facebook, ela ainda conversava com os pais pelo Skype. As vídeo chamadas eram feitas em um quarto personalizado com decorações de natal. Tudo montado por ela para enganá-los.


A farsa foi planejada para completar um trabalho acadêmico. Foto: Divulgação

E ela ainda foi mais convincente: no dia da viagem, a holandesa pediu para os pais a deixarem no aeroporto mais próximo e, em seguida, voltou para a sua casa de trem. Em Amsterdam, ela saia para visitar comunidades budistas e, assim, fazer registros mais reais.

A maioria das fotos, porém, era feita em casa. As de mergulho em águas cristalizas, por exemplo, foram tiradas em sua piscina e depois modificadas no computador. Em conversa com o Daily Mail, Zilla explicou o motivo de ter feito a "pegadinha". “Fiz isso para mostrar para as pessoas que nós filtramos e manipulamos o que a gente posta nas mídias sociais. Criamos um mundo ideal online no qual não se pode mais encontrar a realidade. Meu objetivo era provar como é comum e fácil para as pessoas distorcerem a realidade”, comentou a estudante de design gráfico.


Zilla usou bastante Photoshop em suas fotos. Foto: Divulgação



Pesquisa avaliou a percepção dos consumidores em relação às instituições tanto do ponto de vista racional quando do emocional para compor o indicador "Pulse"



Getty Images

Nestlé: no ranking, marca atingiu 82,1 pontos

            Nestlé e Honda são as empresas com a melhor reputação no Brasil, de acordo com estudo "Brasil Reputation Pulse", realizado pelo Reputation Institute (RI), consultoria líder mundial em gestão da reputação corporativa, que analisou a reputação das 100 maiores companhias atuantes no país, listadas de acordo com a receita anual.

Ambas atingiram o nível "excelente" de reputação, conforme a pesquisa, que ouviu mais de 6500 pessoas, entre 18 e 65 anos nas principais capitais do Brasil.

A pesquisa avaliou a percepção dos consumidores em relação às instituições tanto do ponto de vista racional quando do emocional para compor o indicador "Pulse", que identifica o vínculo das pessoas para com as empresas a partir do nível de estima, admiração, confiança e empatia que nutrem por elas.

No ranking, logo abaixo da Nestlé, que atingiu 82,1 pontos, vem a montadora de automóveis Honda, também com reputação considerada excelente. A Natura foi a brasileira mais bem posicionada, com 77,1 pontos.

Brasileiras no ranking


A pesquisa "Brasil Reputation Pulse" mostra também quais são as 20 empresas nacionais mais bem colocadas no ranking da reputação.

A liderança fica com a Natura, que ocupa o 7° lugar na lista que também engloba as estrangeiras.

A empresa de cosméticos é seguida pela BRF, também do setor de Bens de Consumo.

Cinco empresas do ranking de brasileiras pertencem ao setor de varejo.

O bom posicionamento de companhias como Lojas Americanas, Casas Bahia, GPA, Magazine Luiza e Atacadão demonstra a relevância do negócio voltado para as classes C e D, como a nova classe média no país.

Recomende e compartilhe para seus amigos no facebook

ivythemes

{facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google-plus#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}

MKRdezign

{facebook#http://www.facebook.com/MundoMS} {twitter#http://twitter.com/MundoMSOficial} {google-plus#http://plus.google.com/+MundoMSOficial} {pinterest#http://br.pinterest.com/MundoMS/} {youtube#http://www.youtube.com/c/MundoMSOficial} {instagram#http://www.instagram.com/mundomsoficial}

Envie seu Recado ao Mundo MS🌏

الاسم

بريد إلكتروني *

رسالة *

يتم التشغيل بواسطة Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget