Ilha da morte esconde milhões de corpos enterrados e histórias sinistras

Perto do coração de Nova York, uma das maiores cidades do planeta, existe um lugar bizarro que todos evitam chegar perto. Ainda que o local, teoricamente, custe bastante caro pela proximidade com Manhattan, ninguém ousa construir uma casa sequer ali. Até mesmo funcionários do governo têm medo de chegar perto, e histórias de fantasmas são contadas há décadas. 
Conheça a história macabra da Ilha Hart 
Foto: Montagem/R7 


A história da ilha começa em 1865, quando foi usada como campo de prisioneiros, durante a Guerra Civil americana
Foto: Reprodução/Google Maps 

Mais de 3.413 soldados estiveram encarcerados por lá, 235 deles morreram e posteriormente foram transferidos para um cemitério na ilha do Bronx, logo ali do lado
Foto: Reprodução/Black Sack Face 

Após o fim da guerra, a ilha ganhou um propósito menos nobre: sediar um hospital para leprosos
Foto: Reprodução/Michael Endy 


Esse foi o primeiro motivo para ninguém pisar lá, uma vez que a lepra é uma doença extremamente contagiosa e na época ainda não existia um tratamento efetivo para curá-la
Foto: Reprodução/Black Sack Face 


Em junho de 1904, o primeiro acidente envolvendo a ilha, o que deu a ela a fama de ser amaldiçoada
Foto: Reprodução/Ian Ference/The Hart Island Project 


Cerca de mil pessoas foram celebrar uma missa na ilha, para lembrar os doentes e prisioneiros mortos... e o final foi trágico
Foto: Reprodução/Inquirer 


Enquanto eles voltavam do evento religioso, um misterioso incêndio destruiu o barco e matou todos que estavam a bordo
Foto: Reprodução/World Mag 


Até os atentados de 11 de setembro, esse era o pior desastre da história da cidade de Nova York
Foto: Reprodução/Gawker 


No século 19, a ilha ainda se tornou um centro de detenção juvenil, o que explica os prédios de alvenaria quadradões no meio dela
Foto: Reprodução/BY Observer 


Mais mortes nessa época, quando jovens tentavam fugir a nado ou matavam uns aos outros em brigas     Foto: Reprodução/Black Sack Face 


Após o acidente com as vítimas, a ilha passou a acolher um centro de tratamento de drogados
Foto: Reprodução/Black Sack Face 


Até os registros oficiais deixam claro que o lugar era infernal: nenhum dos tratados saiu de lá oficialmente curado
Foto: Reprodução/Ian Ference/The Hart Island Project 


Os quartos mais pareciam prisões, enquanto os enfermeiros eram muitos deles policiais
Foto: Reprodução/Untapped Citties 


Como muitas prisões da cidade estavam cheias, a administração local enviava imigrantes e criminosos para lá com a desculpa que eram alcoólatras e lá sofriam agruras
Foto: Reprodução/Black Sack Face 


Ficavam presos em celas ou ainda eram torturados pelos enfermeiros
Foto: Reprodução/Black Sack Face 


O fato é que a esmagadora maioria dos que iam para lá morriam sem conseguir sair
Foto: Reprodução/Gawker 


Mesmo os enfermeiros e tratadores temiam a ilha, porque uma série de coincidências adiava ou impedia a transferência deles dos serviços nela
Foto: Reprodução/Hart Island Project 


Por isso Hart ficou conhecida como "Ilha da Morte"
Foto: Reprodução/News.au 


A ilha também recebeu um hospício, que não fez feio ante o histórico mortal dela
Foto: Reprodução/SBS 


Mortes, doentes que se jogavam na água em busca da fuga e incêndios jamais esclarecidos... teve de tudo na época
Foto: Reprodução/Untapped Citties 


Depois da 2° Guerra Mundial a ilha se tornou o maior cemitério estatal do mundo
Foto: Reprodução/Ian Ference/The Hart Island Project 


Desde essa época, mais de 1 milhão de pessoas já foram enterradas lá, todos indigentes
Foto: Reprodução/News.au 


Os principais enterrados por lá são bebês e sem-teto, que não possuem parentes para reclamar o corpo     Foto: Reprodução/Wikimedia Commons 


Às vezes, os próprios presos faziam os enterros massivos
Foto: Reprodução/News.au 


Nada de lápides por lá, todos os corpos são enterrados em valas comuns sem qualquer identificação
Foto: Reprodução/News.au 


Anualmente, cerca de 1500 corpos são enterrados na ilha
Foto: Reprodução/Ian Ference/The Hart Island Project 


O lugar é tão proibido e macabro que o primeiro mapa de lá só foi liberado em 2009
Foto: Reprodução/Queens Crap 


Atualmente, o Departamento Prisional de NY, que administra o lugar, muito raramente permite que alguém entre na linha
Foto: Reprodução/Queens Crap 


O motivo apontado por eles envolve a falta de estrutura da ilha: todos os prédios do lugar estão em ruínas e podem desabar, e terrenos estão cheios de corpos, que podem até estar contaminados
Foto: Reprodução/Untapped Citties 


Mas sabemos que deve ter algo por trás, como surtos de doenças e até o medo de funcionários de trabalharem por lá, devido ao medo de fantasmas
Foto: Reprodução/Ian Ference/The Hart Island Project 


Hoje, a ilha está cheia de corpos e prédios que guardam histórias macabras sobre doentes mentais, drogados, jovens infratores e assassinos. Além de milhões de mortos sem nome enterrados de qualquer jeito Foto: Reprodução/Black Sack Face
Assunto Da Matéria >>
Sua Opinião:

Postar um comentário

DÊ SUA OPINIÃO, COMENTE ESSA MATÉRIA.

[facebook][blogger]

ivythemes

{facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google-plus#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}

MKRdezign

{facebook#http://www.facebook.com/MundoMS} {twitter#http://twitter.com/MundoMSOficial} {google-plus#http://plus.google.com/+MundoMSOficial} {pinterest#http://br.pinterest.com/MundoMS/} {youtube#http://www.youtube.com/c/MundoMSOficial} {instagram#http://www.instagram.com/mundomsoficial}

Envie seu Recado ao Mundo MS🌏

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget