25 gramas são o máximo de açúcar que se pode ingerir por dia


Quantidade máxima de açúcar recomendada pela OMS é de menos de duas colheres de sopa


Luciana Carvalho, de EXAME.com

        A inocente sobremesa depois do almoço já não é mais tão inocente assim. Diante dos comprovados prejuízos que o excesso de açúcar tem provocado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu uma nova diretriz: incentivar os países a reduzirem o consumo de açúcar para até 5% da dieta diária da população.

Na vida prática, isso significa consumir no máximo 25 gramas do doce por dia, algo em torno de 6 colheres de chá ou um pouco menos do que duas colheres de sopa. Pareceria uma quantidade razoável se o órgão considerasse apenas a adição de açúcar que fazemos no dia a dia, como no cafezinho.

Mas a indicação da OMS engloba também o açúcar “escondido” nos alimentos industrializados e feitos em casa, como biscoitos, bebidas, bolos, e, ainda, naqueles açúcares naturais presentes no mel, em xaropes, sucos de fruta e concentrados de fruta. Uma latinha de 350 ml refrigerante, por exemplo, chega a ter quase 40g.

Os únicos açúcares que ficaram de fora da mira da organização (e, portanto, não entram na conta dos 25g) são aqueles presentes em frutas e vegetais frescos e integrais, já que não há indícios de que sejam prejudiciais à saúde.

No ano de 2014, a OMS já havia levantado essa ideia de reduzir pela metade a quantidade de açúcar da rotina, cujo teto estabelecido era de 10% da ingestão de alimentos por dia. Agora, a instituição oficializou o novo parâmetro e está empenhada em espalhar a mensagem pelo mundo.

A nova diretriz tem base em diversos estudos que mostram que tanto adultos quanto crianças que consomem menos açúcar têm menos chances de sofrer com obesidade e cáries dentárias do que aqueles que abusam do ingrediente.

As recomendações da OMS aos países incluem a criação de guias alimentares de acordo com os costumes e comidas disponíveis nos locais, assim como novas políticas de rótulos de produtos e educação. Outra indicação é regular o mercado de comidas e bebidas não alcoólicas ricas em açúcares e novas políticas fiscais sobre esses alimentos.

Na esfera individual, a sugestão é, claro, reduzir ao máximo a ingestão dessa substância, que, apesar de muito saborosa, pode causar problemas sérios à saúde.

Postar um comentário

DÊ SUA OPINIÃO, COMENTE ESSA MATÉRIA.

[facebook][blogger]

ivythemes

{facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google-plus#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}

MKRdezign

{facebook#http://www.facebook.com/MundoMS} {twitter#http://twitter.com/MundoMSOficial} {google-plus#http://plus.google.com/+MundoMSOficial} {pinterest#http://br.pinterest.com/MundoMS/} {youtube#http://www.youtube.com/c/MundoMSOficial} {instagram#http://www.instagram.com/mundomsoficial}

Envie seu Recado ao Mundo MS🌏

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget