+MMS
Carregando Notícias Mundo MS...

Tweetar Post/Página

Café Para Combater Câncer de Pele

Estudo mostra que ingerir pelo menos três xícaras por dia pode evitar carcinoma de células basais

por Anna Azvolinsky e MyHealthNewsDaily

©Subbotina Anna/ Shutterstock



De acordo com um novo estudo, proteção contra o câncer de pele já pode ser adicionada à lista de benefícios que beber café traz à saúde. A pesquisa mostrou que mulheres que beberam mais de três xícaras de café por dia apresentaram uma tendência 21% menor de desenvolver carcinoma de células basais (CCB, o tipo mais comum de câncer de pele), quando comparadas a mulheres que beberam menos de uma xícara por mês. Em homens a redução de risco foi de 10%.

“O mais provável é que o efeito protetor venha da cafeína, já que os voluntários que ingeriram a bebida descafeinada não mostraram diminuição de riscos”, suspeita Jiali Han, principal autor do estudo e professor associado da Escola de Medicina de Harvard e da Escola de Saúde Pública de Harvard,em Boston. Apesarde a redução do risco de desenvolver CCB ter sido observada também em quem consumiu quantidades semelhantes de cafeína proveniente de outras fontes como chá, chocolate e refrigerantes, o café foi a maior fonte de cafeína entre a população do estudo, representando 78,5% de toda a ingestão da substância.

Durante a pesquisa, que durou 20 anos, os participantes completaram questionários sobre dieta alimentar e forneceram informações a respeito de seus fatores de risco para o câncer, incluindo histórico familiar de melanoma, reações a queimaduras solares, cor da pele e exposição à luz direta do Sol. Além disso, os voluntários passaram por exames que verificavam sinais de câncer de pele. Por fim, os cientistas concluíram que 22.786 participantes desenvolveram carcinoma de células basais, 1.953 carcinoma de células escamosas (CCE) e 741 melanoma.

Como o número de pacientes diagnosticados com melanoma ou CCE foi pequeno, não está claro se a cafeína realmente não tem efeito sobre esses tipos de câncer ou se seria necessário mais tempo de estudo, ressaltou Han. “Dentro de aproximadamente uma década pode ficar mais claro se a cafeína ajuda a combater outros tipos de câncer de pele”, reforçou o pesquisador.

Han alerta, porém, que o estudo não é conclusivo: ele mostrou uma associação, não uma relação direta de causa e efeito entre café e risco de câncer de pele. Ele enfatizou também que apesar de parecer provável que o benefício venha da cafeína, isso ainda é uma hipótese: “Há vários compostos no café, incluindo antioxidantes. O processo de descafeinização pode remover outros compostos, então não podemos garantir que a cafeína seja o único fator responsável pelo efeito”, ponderou Han.

Já Lorelei Mucci, professora associada de epidemiologia da Escola de Saúde Pública de Harvard, que não se envolveu na pesquisa, levanta outro receio: “Espero que as pessoas não passem mais tempo ao Sol só porque bebem café”, reforça. “Ainda precisamos entender muitas coisas sobre o CCB”.

O estudo foi publicado em 2 de julho na Cancer Reserch; alguns dos resultados foram apresentados em um encontro de pesquisas sobre o câncer, em 2011.

Navegue pela Data e encontre as Matérias em Ordem Cronológica.